Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

“Demos qualidade de vida às pessoas”

Indicado ao Prêmio Veja-se na categoria Inovação desenvolve soluções para a agricultura familiar no interior do Nordeste

Entre os alimentos que chegam à mesa de famílias brasileiras todos os dias, 70% são produzidos pela agricultura familiar, e 50% dos estabelecimentos responsáveis por essa cultura se encontram no semiárido. O Nordeste, porém, uma região habituada a enfrentar longos períodos de estiagem, vem sendo ainda mais castigado pelo efeito das mudanças climáticas. Em consequência do aquecimento global, a alteração no regime de chuvas impacta diretamente o potencial de produção das roças dos pequenos agricultores.

Desde 2006, Daniele Cesano coordena no interior da Bahia o projeto Adapta Sertão, que aplica, com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Sistema Mais: Módulo Agroclimático Inteligente e Sustentável. Com uma equipe de assistência técnica, Cesano leva aos agricultores práticas de manejo que aperfeiçoam a produção, ensina estratégias para investimentos em segurança hídrica e alimentar para animais e desenvolve planos de recuperação florestal para produtores acostumados a ver o gado morrer na seca e a colheita desaparecer pela falta de chuva. Enquanto a produção aumenta, os fazendeiros recuperam áreas degradadas e ajudam a reverter os danos ambientais causados no passado. O

objetivo do projeto é atender ao menos 700 produtores até 2018, mas 2017 foi o ano em que o modelo aplicado a 100 propriedades, entre fazendas de leite e de cordeiro, mostrou-se viável para ser difundido em larga escala. Na prática, isso significa que os fazendeiros conduziram o negócio de tal modo que os animais conseguiram sobreviver a dois anos consecutivos de seca e, com o uso correto da água, a produção de leite aumentou em quase 50%. “Demos qualidade de vida a pessoas que se sentiam abandonadas à própria sorte. Os agricultores estão conseguindo contratar outras pessoas da região para ajudar no dia a dia e têm mais tempo livre. Tornaram-se empreendedores”, diz Cesano.

O italiano radicado no Brasil acredita que a transformação começa na educação. Embora os sistemas familiares de agricultura e pecuária sejam amplamente criticados como modelo econômico, o engenheiro defende a tese de que o problema está na falta de orientação aos produtores para que trabalhem de maneira sustentável. No Brasil desde o início do projeto, Cesano explica que, sem a dedicação integral, de corpo, tempo e alma, não teria sido possível obter sucesso no plano de garantir a produção de alimentos e a geração de renda na sociedade da região. “Começamos no semiárido, mas o sonho é levar o modelo à Amazônia e para fora do Brasil. É possível produzir em escala, de maneira consciente e com uma vida digna”, diz Cesano.

Conheça os três candidatos nesta categoria. A votação está encerrada.

Inovação
Ane Alencar – A geógrafa cria ferramentas digitais que possibilitam aos povos indígenas ajudar no monitoramento de mudanças climáticas Leia o perfil completo
Daniele Cesano – O engenheiro ambiental desenvolve soluções para a agricultura familiar no interior do Nordeste Leia o perfil completo
Roberto Nogueira – O empresário leva internet de fibra óptica a municípios do semiárido nordestino Leia o perfil completo