Clique e assine a partir de 8,90/mês

Quartinho Bar é eleito a revelação do ano entre os bares do Rio de Janeiro

Carta de drinques com preços camaradas, ambiente descolado e trilha sonora de primeira garantem o troféu de VEJA Comer & Beber à casa

Por Carolina Barbosa e Pedro Tinoco - 20 jul 2019, 01h00

O espaço é pequeno, como o nome sugere, mas as opções são muitas. Há lugar junto ao balcão ou nas cadeiras e poltronas de estilos variados. No charmoso ambiente interno, uma parte é coberta por telhado aparente e a outra fica ao ar livre. Quem não consegue (ou não quer) entrar ocupa a calçada da frente (Rua Arnaldo Quintela) e a dos fundos (Rua General Polidoro), essa já adotada pelos mais assíduos. Inaugurado no fim de 2018, o Quartinho Bar é um acontecimento. Jonas Aisengart, artista plástico e sócio de Edu Araújo na empreitada, assina telas na parede e a carta de drinques. No menu, que tem jeito de fanzine, há oito variações de gim-tônica (R$ 22,00 a R$ 47,00), entre outras sugestões inventivas. A seção “doces dezesseis”, referência ao valor de cada pedida, traz receitas como o sr. bigode, reunião de cachaça com infusão de cardamomo, caldo de cana e suco de limão, e a mexerica tônica, feita de vodca com infusão de cascas de tangerina, alecrim e tônica.

Na ala dos “especiais do quartinho”, chama atenção o polioamor na polinésia, poderosa mistura de rum de três e de sete anos, sucos de laranja e limão, lichia, xarope orgeat e gengibre (R$ 28,00). O visitante também encontra cerveja long neck (R$ 7,00), vinho em taça (R$ 25,00) e bebes sem álcool, entre eles a brisa, refrigerante natural de capim-limão, hortelã e limão (R$ 8,00). A criatividade local estende-se à ala de comes. Valem cada mordida o vinagrete do mar, com polvo, camarão, lula e pão sourdough na manteiga (R$ 38,00), e o trio de croquetes de carne assada com creme de queijo de cabra temperado (R$ 18,00). Um pequeno grande bar, o Quartinho ainda tem trilha sonora de primeira linha, com pérolas da MPB de todos os tempos, disponível no Spotify. Procure saber. Rua Arnaldo Quintela, 124, Botafogo,2179-6447 (40 lugares). 18h/2h (fecha dom. e seg.). Aberto em 2018.

2º lugar – Liga dos Botecos

Reúne petiscos famosos de quatro bares cariocas: Momo, Botero, Cachambeer e Bar da Frente. Na tábua da liga (R$ 75,00), por exemplo, são dois bolinhos de arroz (Momo), duplas de croquetes de joelho de porco e de stracotto (Botero), um pastel de camarão e outro de costela (Cachambeer) e três porquinhos de quimono (Bar da Frente). O último traz um trio de rolinho primavera com costela suína desfiada e requeijão de ervas. No drink do moa (R$ 22,00), homenagem ao sambista Moacyr Luz, entram gim Gordon’s, Campari, espumante, cardamomo, zimbro e manjericão. Rua Álvaro Ramos, 170, Botafogo,3586-2511 (130 lugares). 17h/0h (qui. até 0h30; sex. e sáb. 12h/1h; dom. a partir de 12h). Aberto em 2018.

3º – Porco Amigo Bar

Especialidade local, a carne suína aparece em 22 receitas. Da cozinha saem criações como o croquete de costela com molho de mostarda (R$ 7,90 a unidade) e o medida certa (R$ 34,90 a porção). Esse preparo traz barriga de porco assada com minicebola caramelada e farofa crocante. Produzidas pela Brewpoint, em Petrópolis, as cervejas da casa estão disponíveis em rótulos de 500 mililitros em dois estilos: Porco IPA (R$ 24,00) e Porco Beer Keller Lager (R$ 22,00). Da ala de drinques, faz sucesso o que mescla gim Tanqueray, tônica, chá-mate e espuma de abacaxi (R$ 27,00). Rua São Manuel, 43, Botafogo,2137-4963 (80 lugares). 12h/0h (dom. até 22h; fecha seg.). Aberto em 2018.

Continua após a publicidade
Publicidade