Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Os melhores botecos de Cuiabá segundo VEJA COMER & BEBER 2019

A lista da boa botecagem inclui o Fundo de Quintal, premiado pelo júri da revista

Por Ana Flávia Corrêa, Lidiane Barros, Luly Zonta, Maria Clara Cabral, Mariani Campos, Rodrigo Meloni e Rodivalho Ribeiro Atualizado em 22 Maio 2019, 13h05 - Publicado em 18 Maio 2019, 23h59

Bar do Bigode

Este bar nasceu como um bloco carnavalesco e segue fiel à sua vocação festiva, com frequentes apresentações musicais – samba é o ritmo predominante. Enquanto aproveitam trilha sonora, os clientes podem petiscar porção de batata frita (R$ 10,00, para três pessoas). Outra pedida que faz sucesso entre o público é a porção de frango à passarinho (R$ 15,00). Para matar a sede, há cervejas de garrafa, a exemplo da Brahma (R$ 10,00). Rua Engenheiro Ricardo Franco, 614, centro, 99963-2214 (200 lugares). 20h/4h (fecha seg. a qua.). Aberto em 2015.

Bar do Edgare

Rock e samba embalam as noites neste tradicional endereço cuiabano, em funcionamento há mais de quarenta anos. Um dos motivos de sua longevidade é a cozinha afinada, que expede tira-gostos como a moela ao vinho tinto (R$ 30,00). Os pastéis, servidos em porções de quatro unidades (R$ 40,00), têm um diferencial na massa: levam água da conserva do palmito em sua preparação. A seleção de recheios inclui camarão e carne-seca, os dois mais pedidos. Chopes da cervejaria Louvada são a sugestão para brindar: o pilsen de 300 mililitros custa R$ 10,00. Em garrafas de 450 mililitros, APA e IPA da mesma marca saem a R$ 19,00. Rua Traçaia, 280, Jardim Primavera, 3321-2437 (450 lugares). 17h/1h (sex. até 2h; sáb. 12h/0h; fecha dom. e seg.). Aberto em 1973.

Bar do Jarbas

Fundado por Jarbas do Nascimento, este bar tem na cozinha um de seus maiores trunfos. De lá saem pastéis recheados de carne moída, ovo, azeitona e cheiro-verde (R$ 35,00 com quinze unidades). Outra pedida certeira é o revirado cuiabano, combinação de arroz, ovo frito, farofa e salada de repolho (R$ 45,00). Às terças-feiras, a vocação botequeira fica ainda mais evidente com o rodízio de petiscos (R$ 27,90 por pessoa), servidos das 19h às 22h. Para completar a noite, a seleção etílica inclui caipirinha (R$ 13,00) e cervejas de garrafa (R$ 10,00 a Brahma). Dica para visitar a casa sempre lotada? Chegue cedo. Rua Desembargador Alírio Figueiredo, 190, Dom Aquino, 99969-7973 (180 lugares). 18h/0h (sáb. 16h/22h30; fecha dom. e seg.). Aberto em 2012. Aqui tem iFood.

Bar do Jorge

Representante da tradição botequeira em Cuiabá, completa quinze anos em funcionamento. As mesinhas na calçada são disputadas por grupos de amigos, que chegam para bater papo enquanto brindam com cervejas de garrafa – são seis marcas disponíveis, caso da Heineken (R$ 13,00), da Brahma (R$ 9,00) e da Petra (R$ 9,00). Entre um gole e outro, dá para provar tira-gostos como pastel ou bolinho de carne (R$ 5,00 cada um) e caldinho de feijão (R$ 4,00). Espetos de contrafilé, de alcatra, de carne suína ou de frango podem vir à mesa em companhia de mandioca cozida (R$ 10,00) ou com a jantinha completa (R$ 13,00 com arroz, mandioca, farofa e vinagrete). Rua General Teófilo Ribeiro de Arruda, 102, Duque de Caxias, 3637-8876 (160 lugares). 17h às 22h30 (fecha seg., sáb. e dom.). Aberto em 2004.

Cão Latino

Com pouco mais de um ano de funcionamento, a casa conquistou o público, composto em sua maioria de universitários, graças à dobradinha de música ao vivo e bebidas sempre geladas. Predominam entre os pedidos as cervejas de garrafa, caso da Brahma de 1 litro (R$ 12,00) e da Petra de 600 mililitros (R$ 12,00). Mas a carta também abarca alguns drinques preparados por  Leonardo Tiaragyu, um dos sócios. Um deles é o pepper, elaborado com frutas como abacaxi, manga e maracujá, pimenta-rosa e vodca (R$ 13,00). Com pegada intimista, as apresentações costumam ser realizadas aos fins de semana, com clássicos da bossa nova e MPB (couvert artístico: R$ 3,00). Para matar a fome, a cozinha prepara pastéis com recheio de carne (R$ 8,00 a porção com seis unidades). Avenida Edgar Vieira, 420, Boa Esperança, 3365-6779 (100 lugares). 18h/0h30 (qui. e sex. até 1h30; sáb. até 1h; dom. até 0h30; fecha seg. e ter.). Aberto em 2018.

Copo Sujo

Um dos mais tradicionais botecos da cidade tem boa parte de suas mesas ao ar livre. Em clima descontraído, o local atrai público de todas as idades, inclusive alunos de três universidades dos arredores. Um dos chamarizes do local é a boa comida, a exemplo do espeto de carne que pode ir à mesa ao lado de mandioca cozida, farofa, arroz e vinagrete (R$ 16,90). Para matar a sede, há cervejas em garrafa de 600 mililitros, como Skol e Brahma (R$ 9,00 cada uma) ou em versão long neck, caso da Heineken (R$ 8,90). Avenida Governador José Fragelli, 423, Jardim Paulista, 2127–3083 (300 lugares). 16h/0h (sáb. até 22h; fecha dom.). Aberto em 1992.

Continua após a publicidade

Dumato

O carro-chefe do cardápio é a picanha, que chega à mesa em quatro fatias de 150 gramas e guarnição de salada (R$ 45,00, para duas pessoas). Outras pedidas podem ser compartilhadas em dois clientes, caso do cupim com arroz, vinagrete, batata frita e mandioca (R$ 45,00). Vale a pena consultar os garçons sobre as promoções de bebidas, uma delas pode, por exemplo, derrubar o preço da caipirinha, que normalmente custa R$ 12,00, pela metade. Para animar a noite, há música ao vivo às sextas e sábados com repertório que costuma privilegiar o sertanejo (couvert artístico R$ 5,00). Avenida das Torres, 1, Jardim Imperial, 2129-4131 (150 lugares). 18h/23h (sex. e sáb. até 0h; fecha dom.). Aberto em 2017.

Essência Cuiabana

A proposta do local é homenagear a tradição cuiabana, para isso o melhor é optar pelo rodízio de quitutes típicos: pelo preço fixo (R$ 29,90 por pessoa), os clientes se servem à vontade de vinte receitas, entre eles o bolinho de frango com pequi e carne-seca com chips de banana verde. O serviço à la carte abarca sugestões como pintado grelhado na brasa (R$ 43,50, para duas pessoas). Às mesas cobertas com toalhas de xita chegam vinte opções de drinques, entre eles a caipirinha de caju (R$ 15,90) e a piña colada (R$ 25,90). Às quintas e sextas-feiras, há música ao vivo e é cobrado couvert artístico de R$ 10,00. Rua Marechal Mascarenhas de Moraes, 278-B, Duque de Caxias II, 3027-6627 (160 lugares). 17h/1h (fecha dom. e seg.). Aberto em 2015. Aqui tem iFood.

Fundo de Quintal (campeão de 2019)

Sob o comando de Rafael Herane, filho dos fundadores, Nilzis e Edwin (ela segue coordenando a cozinha, ele faleceu no ano passado), este bar é um convite para o encontro com amigos. Da vitrola saem MPB, samba de raiz e jazz, sempre num volume que não impede o papo, que pode ser regado a cerveja bem gelada (R$ 10,40 a Brahma de 600 mililitros) ou a caipirinha (de R$ 12,00 a R$ 16,00). Petisco mais vendido, o croquete de mandioca com recheio de carne ou queijo chega em porção com dez unidades (R$ 35,00). Com mais fome, os clientes podem pedir pratos típicos cuiabanos, caso do revirado de carne picadinha com farinha de mandioca, acompanhado de arroz ou pão, dois ovos fritos e banana madura frita (R$ 65,00, para dois). Rua Estevão de Mendonça, 1139, Quilombo, ☎ 99974-7742 (120 lugares). 18h/0h (fecha dom.). Aberto em 2006. Aqui tem iFood.

Lennon Bar

Batizado com o apelido do dono, este bar tem mesinhas ao ar livre, acomodadas sob a sombra de frondosas árvores. Ali, o principal chamariz da clientela é uma receita servida a partir das 10h – um caprichado caldo de feijão vendido em copos de 250 mililitros por R$ 10,00. O cardápio sugere outros petiscos bem típicos de boteco, a exemplo do ovo de codorna em conserva (R$ 0,30 a unidade). Para animar a conversa, as cervejas de garrafa lideram os pedidos (R$ 9,00 a Skol ou Itaipava e R$ 10,00 a Brahma). Rua 85, Quadra 17, Casa 17, Setor 1, CPA 3, 99265-3544 (50 lugares). 9h/22h (sáb. até 18h; dom. até 13h; fecha seg.). Aberto em 2013.  

Salomé Bar

Neste boteco chique instalado na Praça Popular não é raro encontrar programação de música ao vivo, com samba e pagode animando a clientela. A cozinha expede pratos como a carne de sol desfiada e gratinada com Catupiry e mussarela antes de ganhar guarnição de palmito (R$ 54,90, para duas pessoas). Outra sugestão, a salada que leva o nome da casa combina alface, tomate, rúcula, palmito, cogumelo-de-paris e azeitona preta (R$ 26,90). A seleção etílica busca atender todos os gostos. Além de alguns vinhos, há drinques como o chamado de aroma do campo, feito com vodca, Cointreau, abacaxi, morango, suco de laranja e xarope de cranberry (R$ 24,90). O chope Brahma em copo de 200 mililitros custa R$ 7,40. Rua Senador Vilas Bôas, 186, Praça Popular, 2129-4229 (220 lugares). 17h/1h (sex. e sáb. até 2h; dom. 15h30/0h). Aberto em 2016.

(Preços apurados entre abril e maio de 2019).

Veja também: Tudo sobre Veja Comer & Beber Cuiabá 2019

Continua após a publicidade
Publicidade