Clique e assine a partir de 9,90/mês

Conheça as melhores peixarias de Cuiabá

A lista integra a edição de VEJA COMER & BEBER Cuiabá 2019, divulgada em maio

Por Ana Flávia Corrêa, Iracy Paulina, Lidiane Barros, Luly Zonta, Maria Clara Cabral, Mariani Campos, Rodrigo Meloni e Rodivalho Ribeiro - Atualizado em 22 Maio 2019, 13h07 - Publicado em 18 Maio 2019, 23h59

Dom Chico

Há mais de uma década em atividade, o restaurante foi batizado com o apelido do fundador Francisco Nolasco da Silva. Há quatro anos sob o comando do filho do patriarca, Júnior, os clientes encontram um rodízio composto de receitas da família. Entre as pedidas: pacu e pintado fritos, além de pintado em outras preparações, grelhado ou em forma de mojica, guarnecidos de pirão, arroz, farofa de banana e salada. Paga-se um preço fixo (R$ 60,00) para comer à vontade – aos domingos, o valor sobe para R$ 65,00 e o cardápio pode ganhar pacu assado ou seco, entre outros pratos. Sobremesas regionais, a exemplo do furrundu, também fazem parte do pacote. Para ladear os pratos, vai bem a cerveja Original de garrafa (R$ 12,00). Rua Bianco Filho, 620, Boa Esperança, 3027-3267 (70 lugares). 11h/15h (fecha seg.). Aberto em 2008. $$

Joelson Peixaria

Sob a batuta de Joelson Venegas, esta casa funciona há mais de três décadas dedicada ao preparo de peixes.  A piraputanga na brasa com arroz e pirão é o carro-chefe do cardápio do almoço regional (R$ 90,00, para duas pessoas). Outra sugestão é a peixada com mojica de pintado, filé do mesmo peixe frito, ventrecha de pacu frita, arroz, pirão e farofa de banana (R$ 74,90, para dois). No rodízio da casa desfilam filé de pintado, piraputanga assada, pirão, arroz, caldo de piranha, pastéis de pintado e de bacalhau, entre outras opções (R$ 59,90 por pessoa). Cervejas de garrafa, como a Original (R$ 12,90), e caipirinhas (R$ 20,00) fazem companhia às receitas da culinária pantaneira. Para adoçar, os clientes pagam R$ 10,00 e se servem à vontade no bufê de sobremesas regionais, que inclui furrundu e outras compotas típicas. Avenida Antártica, 203, Santa Rosa, 3626-1778 (90 lugares). 11h/14h30. Aberto em 1985. $$

Continua após a publicidade

Lélis Peixaria (campeã de 2019)

Dos peixes de água doce, o pintado é um dos mais apreciados pelos brasileiros. Aqui, sua carne branca, macia, saborosa e quase sem espinhas é a estrela do famoso rodízio (R$ 89,90 no almoço e R$ 69,90 no jantar), que atrai cuiabanos e turistas, e de quinze pratos à la carte. Na pedida que recebe o nome de pintado do lélis, o ingrediente, trazido de Cáceres (MT) ou da Ilha do Bananal (TO), é feito tal como uma bacalhoada, com cebola, pimentões, azeitona, brócolis e ovo cozido (R$ 139,00, para dois). Em outra versão, o peixe surge em posta alta, com crosta de castanha-de caju passada na manteiga de leite e parmesão (R$ 129,00). Os pratos servem duas pessoas. Rua Marechal Mascarenhas de Moraes, 36, Duque de Caxias,3322-9195 (160 lugares). 11h/15h e 18h30/23h (dom. só almoço). Aberto em 2006. Aqui tem iFood. $$$

Mirante das Águas

A casa agora conta com dois salões que, juntos, acomodam até 600 pessoas. Neles são servidos o tradicional rodízio de peixe, que sai a R$ 69,90 no almoço de segunda a sexta, R$ 79,90 aos sábados, domingos e feriados. O jantar sai a R$ 49,90 durante a semana e R$ 59,90 nos demais dias. O serviço com 25 opções é protagonizado por pintado, pirarucu, cachara e pacu – este último é recheado com farofa de banana e couve e assado inteiro na churrasqueira. Para beliscar, são servidas entradinhas também inclusas no valor do rodízio, entre elas o bolinho de peixe frito (de pacu mais purê de batata e queijo mussarela). A refeição inclui ainda sobremesas como os doces de abóbora, de caju e o furrundu. No jantar, uma outra opção é o rodízio de pizzas (R$ 29,90), que inclui trinta variedades, de clássicos como margherita e quatro queijos até a inusitada pizza de jacaré defumado mais presunto e mussarela. Rua Brasília, 2010, Jardim Potiguar, Várzea Grande, 3682-6130 (600 lugares). 11h/16h e 18h/0h. Aberto em 2011. $$$

Continua após a publicidade

Peixaria Popular

Na ativa há quase três décadas, o restaurante é comandado pela proprietária Nilda Maria Borges de Moura, a dona Nilda, como é chamada pela clientela. Com a ajuda de apenas mais uma pessoa na cozinha, além de um garçom, ela serve pratos à la carte, a exemplo da mojica de pintado, que chega à mesa em companhia de arroz, pirão, farofa de banana e a mesma fruta frita (R$ 80,00). Se preferir, o cliente pode optar pelo rodízio de peixe que sai a R$ 50,00 por pessoa. Para adoçar o paladar tem a rapadura de leite, cortesia da casa. Avenida São Sebastião, 2324, Goiabeiras. 3322-5471 (40 lugares). 10h/15h. Aberto em 1992. Aqui tem iFood. $$

Peixaria Sabor Cuiabano

De acordo com a proprietária Kellem Assis, são as receitas tradicionais que fazem sucesso por ali. No rodízio de peixes (R$ 55,00 por pessoa), que é a escolha da maior parte dos clientes, entram filé de pintado, ventrecha de pacu e pirapitanga, todos fritos e servidos com mojica de pintado, arroz, vinagrete, farofa de banana e pirão. Dos pratos à la carte, a estrela é o pacu seco em sal, alho e pimenta-do-reino, frito e depois cozido junto com o arroz que o acompanha. O prato custa R$ 150,00 e serve até quatro pessoas. Rua Antônio Dorileo, 2030, São Gonçalo Beira Rio, 3661-0050 e 99249-4094 (240 lugares). 11h/14h (sáb. e dom. até 16h; fecha seg.). Aberto em 2005. Aqui tem iFood. $

Continua após a publicidade

Restaurante e Peixaria Okada

Ao chegar, o cliente escolhe, de um tanque, o peixe que vai comer e a forma como será preparado. A dinâmica garante frescor às pedidas, que podem ser fritas ou assadas na brasa. A piraputanga vem assada e recheada com farofa de couve. Arroz, vinagrete, salada e pirão escoltam o prato, cobrado pelo quilo do peixe (R$ 110,00). Por R$ 114,00, a mojica de pintado é guarnecida de arroz, pirão e salada, para quatro pessoas. Opção sem peixe, a galinha com arroz, salada e farofa de banana (R$ 99,00) serve quatro pessoas. As cervejas em garrafa Brahma e Antarctica acompanham a refeição (R$ 12,00 cada uma). Avenida Ribeirão Preto, 11, 3641-0808 (120 lugares). 11h/14h30 e 18h/23h30 (sáb. almoço até 15h; dom. só almoço até 15h; seg. só almoço). Avenida Miguel Sutil, 4200, Areão, 3054-0606 (300 lugares). 11h/14h30 e 18h/23h30 (sáb. almoço até 15h; dom. só almoço até 15h; fecha seg.). Aberto em 1983. $$$

Ximba na Manga

O cliente pode escolher entre diversas opções de serviço. Por quilo (R$ 28,00), em um bufê cujas receitas são renovadas diariamente, podem aparecer feijoada light, que é feita com carne-seca e calabresa, galinha com arroz, costela com mandioca, frango assado e linguiça na brasa. Já entre os pratos comerciais (R$ 15,00), a opção com peixe reúne ventrecha de pacu frita, filé de pintado, mojica mais arroz, pirão e farofa de banana. Há ainda a opção do rodízio (R$ 36,00 por pessoa), que inclui pacu e pintado à vontade mais os acompanhamentos do prato comercial. Por fim, também é possível pedir pratos à la carte, que servem duas pessoas. Entre as opções estão o pintado com camarão (R$ 68,00) e o vatapá de pintado desfiado, azeite de dendê e creme de amendoim (R$ 54,00). Avenida São Sebastião, 2046, Goiabeiras, 3623-7348 (82 lugares). 11h/14h (sáb., dom. e feriados até 15h). Aberto em 1996. $$

Continua após a publicidade

Coco Bambu

Uma das novidades gastronômicas de Cuiabá em 2019 é a abertura de uma unidade desta rede de origem cearense, cuja especialidade são os ingredientes provenientes do mar. Um dos carros-chefes do Coco Bambu, o prato batizado de rede de pescador reúne lagosta, camarão, mexilhões, peixe e lula grelhados com molho provençal e acompanhados de arroz com açafrão (R$ 190,00, para duas pessoas). Outra sugestão é o camarão à provençal, que consiste em vinte unidades grandes do crustáceo puxadas no azeite com alho e cebola, vinho branco, ervas, molho de tomate, molho branco e um toque de limão. O preparo é levado à mesa sobre fettuccine (R$ 215,00, para três pessoas). Para beber, há rótulo próprio de cerveja, uma pilsen feita em parceria com a mineira Wäls (R$ 17,00, 600 mililitros), e de espumante, caso do Brut Coco Bambu, produzido pela Casa Valduga (R$ 85,00). Shopping Estação Cuiabá, 3056-3052 (400 lugares). 11h30/15h e 17h/0h (sex. a dom. sem intervalo 11h30/0h). Aberto em 2019. Aqui tem iFood. $$$$

(Preços apurados entre abril e maio de 2019).

Veja também: Tudo sobre Veja Comer & Beber Cuiabá 2019

Publicidade