Clique e assine a partir de 9,90/mês

Confira as melhores pamonharias de Goiânia

Os endereços servem as receitas de milho fresquinhas

Por Daniella Barbosa, Eula Lôbo, Thalys Alcântara, Taynara Borges e Thiago Rabelo - 14 jan 2019, 23h55

Pamonha Oeste – 1º lugar

A pamonharia que conseguiu a proeza de destronar a Frutos da Terra, vencedora nas últimas onze edições de VEJA COMER & BEBER, nasceu de um pepino. Não da hortaliça, claro, mas de um problema com o qual Ermindo Gervasio Carneiro deparou há quase trinta anos. Dono de uma distribuidora de milho, ele por pouco não levou calote de uma pequena pamonharia. A solução foi assumir o negócio no lugar da dívida. A diferença entre o estabelecimento de hoje e o de origem é imensa. Agora, cerca de 30 toneladas de milho são mensalmente transformadas em 30 000 pamonhas. A produção diária começa às 10h e se repete a cada uma hora e meia, para não comprometer o frescor nem a consistência. A versão mais simples, acompanhada só de sal e queijo de minas (R$ 9,00), é a campeã disparada de pedidos. A mais complexa e também a mais nova, incluída no cardápio no ano passado, ganha recheio de queijo de minas, carne-seca apimentada, cheiro-verde e pedacinhos de milho cozido (R$ 10,50). Ideal para duas pessoas, o empadão goiano, com palmito, azeitona, milho, batata, filé de frango, cheiro-verde, queijo de minas e ovos, custa R$ 21,00. Entre uma mordida e outra, a clientela dá preferência aos sucos naturais como o de abacaxi com hortelã e o de cupuaçu (R$ 5,50 cada um). Para adoçar, o curau (R$ 6,00) se mostra escolha recorrente. Reproduzido na fachada, o slogan da pamonharia, “a primeira com catupiry”, refere-se à opção tradicional acrescida desse queijo (R$ 9,50). Foi uma forma sutil de criticar os concorrentes, que, segundo Carneiro, copiaram sua receita. Como sua distribuidora de milho abastece vários deles, se o empresário subisse o tom, talvez arranjasse outros pepinos. Avenida R-9, 124, Setor Oeste, ☎ 3291-4060 (130 lugares). 8h30/23h. Aberto em 1991.

Chacrinha do Milho

A recessão econômica fez o casal Lucirene e José Silva diminuir o espaço de atendimento da pamonharia, mas o cardápio em nada foi alterado. Ainda faz sucesso a pamonha à moda, com linguiça de frango, cebolinha e queijo, que lidera os pedidos (R$ 8,00; com catupiry, R$ 9,00). As pamonhas doce e salgada (R$ 7,00), com queijo, vêm logo em seguida. Outra intocável é a chica doida, com seu recheio de linguiça de frango e calabresa, queijo de minas e molho branco com catupiry (R$ 14,50). Para agradar o paladar goiano, os caldos de frango e feijão são obrigatórios (R$ 12,50 cada um). Rua 1040, 150, Setor Pedro Ludovico, ☎ 3093-3120 (40 lugares). 12h/22h (fecha dom. e feriados). Aberto em 2007.

D’Casa Pamonharia

Duas salas conjugadas do interior do tradicionalíssimo Mercado da Rua 74, no centro, são dedicadas à pamonha e a derivados do milho. A salgada caiu nas graças da clientela (R$ 6,00 cada uma). Em segundo lugar está a pamonha à moda, com linguiça e pimenta (R$ 6,50). As duas com queijo. Completam o cardápio a pamonha assada de sal (R$ 5,00), a doce (R$ 4,50), o curau (R$ 4,50, 200 mililitros) e o bolinho frito (R$ 2,50 a unidade), com a mesma matéria-prima. A reforma do último ano deixou o ambiente mais funcional e receptivo. Rua 74, 329 (Mercado Popular), Setor Central, ☎ 3224-3609 (12 lugares). 10h30/19h (sáb. 8h/14h; fecha dom.). Aberto em 2002.

Frutos da Terra – 2º lugar

Referência em pamonha na cidade, vende o produto nas versões cozida, assada ou frita. As primeiras são feitas em nove sabores: sal, doce e pimenta com queijo (R$ 8,50) e especiais, como a nordestina e a goiana (R$ 8,90). Um dos destaques da casa é a chica bacana, cuja receita leva massa de milho, carne de sol desfiada, queijo de minas em cubos, azeitona e molho de tomate (R$ 18,00). Mudou-se há quatro anos para um endereço no qual conta com espaço para eventos, uma pequena brinquedoteca e um empório com produtos típicos goianos. Rua C-234, 969, Setor Nova Suíça, ☎ 3281-4049 (80 lugares). 11h/22h30. Aberto em 1984. Aqui tem iFood.

Pamonha 85

A primeira unidade foi aberta há vinte anos no Jardim América a partir de uma receita da família dos proprietários. Hoje, são três unidades. Além da de sal, da doce e da à moda (R$ 6,00 casa), chamam atenção os sabores especiais (R$ 7,50), como as de calabresa, de carne-seca e de frango, todas com queijo catupiry. As diferentonas de chocolate e de queijo com goiabada são produzidas sazonalmente, de setembro a dezembro. O carro-chefe hoje é a chica doida (R$ 10,00), com massa de milho pré-cozida — e depois assada —, queijo frescal, mussarela, catupiry e complemento de carne ou frango. Rua C-188, 222, Quadra 233, Jardim América, ☎ 3286-5258 (50 lugares). 14h/22h (fecha dom.). Mais dois endereços. Aberto em 1998.

Pamonha Caipira

Lugar que atende os fãs de pamonha em qualquer dia da semana, estabeleceu um mesmo preço, R$ 6,50, para todos os sabores. A de sal e a à moda são as mais vendidas, seguidas pelas de frango com catupiry, à moda com jiló e as doces. O cardápio inclui ainda sopa de milho (R$ 10,00), curau (R$ 4,00) e o tradicional empadão goiano (R$ 10,00). 9ª Avenida, 945, Vila Nova, ☎ 3261-5398 (36 lugares). 15h/23h. Aberto em 1996.

Pamonharia Caseira – 3º lugar 

Tradicional da Região Sudoeste da capital, tem clientela antiga e ambiente familiar. A querida do público é a pamonha de carne de sol desfiada (R$ 8,50), que ainda leva queijo, pimenta bode e cheiro-verde. Também há a recheada com jiló e linguiça (R$ 8,20). Uma opção para as noites frias é a sopa de frango desfiado com milho ralado (R$ 13,90). Avenida T-9, 4209, Jardim Planalto, ☎ 3287-9011 (120 lugares). 17h/0h. Aberto em 1983.

Continua após a publicidade

Pamonharia Delícia Pura

As novidades no novo cardápio são duas receitas de pamonha gourmet (R$ 18,00 cada uma). Uma delas vem gratinada, recheada com filetes de carne de sol na manteiga de leite, cebola flambada, mussarela e catupiry. A outra tem banana flambada, melaço de cana, além de queijo e canela. A de sal e a doce (R$ 10,00 cada uma) seguem em evidência. Avenida Liberdade, 1220, Conjunto Riviera, ☎ 3542- 3166 (80 lugares). 15h/23h. Aberto em 2005.

Pamonharia Delícias da Roça

A porta discreta em uma movimentada avenida possui uma cerca de madeira baixa, em alusão à zona rural. Do lado de dentro são oferecidos seis sabores de pamonha, que vão desde as clássicas de sal e doce (R$ 6,00) até as customizadas, como a recheada com carneseca e guariroba (R$ 8,50) ou jiló e linguiça (R$ 7,50). Ainda são oferecidos cremes de polpas de fruta (R$ 9,00) para acompanhar o prato quente. Avenida Pedro Ludovico, 304, Setor Sudoeste, ☎ 3277-3752 (34 lugares). 10h/23h (fecha seg.). Aberto em 2009.

Pamonharia Maria Pamonha

Por dia, são cerca de 500 pamonhas preparadas pela pamonharia. No cardápio, os amantes do mais famoso prato goiano podem dar um tempo para as mais comuns, de sal, doce e à moda, e experimentar a de frango e sal com pimenta, por exemplo (de 300 gramas, por R$ 5,00 cada uma). Além da pamonha, o bolinho de milho frito com linguiça de porco, no valor de R$ 2,00, merece atenção. O queijo de fabricação própria custa R$ 15,00. Rua Flemington, 705, Vila Bela, ☎ 3558-2936 (22 lugares). 10h/22h. Aberto em 2011.

Pamonharia Meiry

Localizado no bairro mais antigo da capital, o estabelecimento ficou conhecido por sua pamonha assada, cuja receita leva linguiça, pimenta, cheiro-verde e catupiry (R$ 11,00). A empresa está na segunda geração da família. Cristiano Pereira da Silva, filho dos fundadores, mantém a tradição do preparo dos quitutes de milho. O cardápio inclui ainda seis sabores de pamonha, destaque para as variações à moda, que podem ser com linguiça, frango, lombo ou carne de sol (R$ 7,50 cada uma). Outra opção interessante é a sopa de milho com frango e queijo catupiry (R$ 11,00). Avenida Rio Grande do Sul, 779, Setor Campinas, ☎ 3233-8436 (88 lugares). 8h/23h (fecha dom.). Aberto em 1985.

Pamonharia Regina

Apesar da variedade de quitutes de milho, o item mais buscado é o famoso disco de carne com queijo (R$ 4,00), cuja receita é a mesma desde a abertura do estabelecimento, na década de 70. Pamonhas, são cinco os sabores: de sal, doce (R$ 6,00 cada), frango com catupiry, carne de sol e à moda (R$ 6,50 cada). A chica doida feita com milho, temperos, carne de sol, bacon, calabresa e finalizada com queijo custa R$ 10,00. O lugar oferece ainda café da manhã e almoço (R$ 24,90 o quilo) todos os dias. Avenida Rio Grande do Sul, 10, Setor Campinas, ☎ 3291-6953 (54 lugares). 7h/22h. Aberto em 1975.

Rei da Pamonha

A pequena pamonharia se destaca pela simplicidade e pelos valores acessíveis. Os principais produtos da casa são justamente as tradicionais de sal, doce e a de sal com pimenta (R$ 2,50 cada uma). Vale destacar ainda a pamonha à moda do rei, feita com queijo de minas, pimenta, tomate, cebolinha, frango ou linguiça suína (R$ 3,50). Dois outros itens bastante pedidos são o bolinho de milho frito (R$ 1,25 cada um) e o curau doce de milho verde (R$ 2,00). Avenida Araxá, 949, Jardim Ana Lúcia, ☎ 3091- 3836 (24 lugares). 8h/18h. Aberto em 2001.

Sabor e Milho

A pamonha à moda (R$ 7,50), feita com linguiça, pimenta, cebolinha e milho cristal, é a que mais movimenta a cozinha. Sabores como frango com queijo catupiry e à moda com jiló (R$ 7,50 cada uma) são uma opção às tradicionais de sal e doce (R$ 7,00). A possibilidade de personalizar a chica doida (R$ 13,90) com a escolha de ingredientes pelo cliente é um diferencial. Além dos derivados de milho, destaca-se o macarrão (R$ 13,90), que também é montado ao gosto de cada um. 5ª Avenida, 440, Setor Leste Universitário, ☎ 3202-4751 (40 lugares). 14h30/22h30 (sáb. 15h/23h; fecha dom.). Aberto em 1997. Aqui tem iFood.

Continua após a publicidade
Publicidade