Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Nadal bate Djokovic e faz história em Roland Garros

Por Da Redação 11 jun 2012, 09h32

No duelo de dois tenistas em buscas de recordes diferentes, prevaleceu a força no saibro de Rafael Nadal. Apesar de sofrer em parte do terceiro e quarto sets, o espanhol enfrentou Novak Djokovic da mesma forma como atuou em todo o Grand Slam e vencendo a decisão por 3 sets a 1, parciais de 6/4, 6/3, 2/6 e 7/5. Foi o sétimo título de Rafa em Roland Garros, o que o torna o maior vencedor da história do torneio, superando o sueco Bjorn Borg, hexacampeão entre os anos de 1974 e 1981.

O espanhol mostrou o seu cartão de visitas logo no início do primeiro set. Muito forte nas devoluções, Nadal conseguiu a quebra nos dois primeiros saques de Djokovic, abrindo 3/0 com certa facilidade. Quando sacou para abrir ampla vantagem, porém, Rafa teve o saque quebrado pelo número 1 do mundo, que equilibrou a partida após conseguir nova quebra, empatando em 3/3.

Djokovic, porém, voltou a errar quando sacava para ficar à frente do placar pela primeira vez na partida, cometendo dupla falta e cedendo a quebra para Nadal, que confirmou em seguida e apenas administrou a vantagem de dois games até o final da parcial, fechada em 6/4 com um belo ace.

A segunda parcial começou de maneira semelhante à primeira. Logo no primeiro game, Nadal conseguiu a quebra, sacando em seguida para abrir 2/0. O espanhol, porém, reagiu e passou à frente do placar pela primeira vez na partida, após conseguir a quebra entre duas confirmações e abrir 3/2.

O ímpeto de Nole, porém, parou por aí. Nas parciais seguintes, domínio total de Nadal, que conseguiu uma quebra entre duas confirmações para abrir 5/3. Nervoso com seu desempenho, Djokovic chegou a dar uma raquetada e abrir um buraco em seu banco no intervalo entre sétimo e oitavo games.

Antes do início do nono game, a organização do torneio decidiu pela paralisação do jogo, afirmando não haver condições de disputa por conta da chuva que caía em Paris.

Continua após a publicidade

Panorama é o mesmo após paralisação – Após 34 minutos, Nadal e Djokovic voltaram à Philippe Chatrier para a finalização do segundo set. Apesar da paralisação, o panorama foi mesmo: Djokovic seguia nervoso e errando muito, e Nadal manteve a ótima devolução, conseguindo nova quebra e fechando a parcial em 6/3.

Abatido, Nole cedeu nova quebra no início da terceira parcial, vendo Nadal abrir 2/0 sem dificuldades. Quando tudo parecia indicar o título ‘invicto’ do espanhol em Roland Garros – Nadal não havia perdido um set sequer na edição do aberto francês -, Djokovic conseguiu reação impressionante.

Perdendo por 0/30 no terceiro game, o sérvio evitou a quebra antes de vencer outros cinco games de forma convincente. Sacando bem e forçando o erro de Nadal com ótimas devoluções, Djoko fechou a parcial em 6/2, ganhando moral para tentar o empate no set seguinte.

Embalado pelos seis games vencidos de forma consecutiva, Djokovic iniciou a quarta parcial de maneira arrasadora. Aproveitando-se do cansaço de Nadal, o número 1 do mundo conseguiu a quebra logo no primeiro game, sacando em seguida para abrir 2/0.

Pressionado, Nadal errou menos em seu saque e voltou a pontuar após nove games disputados, apesar das boas devoluções que Djoko seguia conseguindo. A definição do quarto set, porém, foi paralisada novamente por conta da chuva que insistia em cair na Philipe Chatrier.

A continuação do jogo foi realizada na manhã desta segunda-feira e Nadal fechou a quarta parcial em 7/5 e confirmou o título no torneio parisiense. Esta foi a primeira final de Roland Garros que não foi disputado em um domingo desde 1973, quando a decisão entre Ilie Nastase e Nikki Pilic (6/3, 6/3, 6/0) foi realizada em uma terça.

Continua após a publicidade
Publicidade