Clique e assine a partir de 9,90/mês

F1: Hall da Fama homenageia campeões em Paris

Cerimônia teve nove campeões e represetantes de Ayrton Senna e Michael Schumacher. Lewis Hamilton não foi: estava num evento de moda

Por Estadão Conteúdo - Atualizado em 5 dez 2017, 17h06 - Publicado em 5 dez 2017, 12h11

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) inaugurou nesta segunda-feira o Hall da Fama do Automobilismo, em Paris. A cerimônia, na sede do Clube de Automobilismo da França, contou com a presença de nove campeões da Fórmula 1, que foram homenageados junto aos demais donos de títulos da categoria. O tricampeão brasileiro Ayrton Senna, morto em 1994, foi representado pelo sobrinho também piloto Bruno Senna.

Estiveram no evento o alemão Sebastian Vettel, dono de quatro títulos, e o bicampeão espanhol Fernando Alonso. Campeão em 2016, o alemão Nico Rosberg também compareceu. A maior ausência foi a do inglês Lewis Hamilton, campeão deste ano, que participava de um evento de moda, em Londres.

Outros campeões presentes foram o francês Alain Prost, os britânicos Jackie Stewart, Nigel Mansell e Damon Hill, o americano Mario Andretti e o canadense Jacques Villeneuve. A empresária Sabine Kehm representou o alemão Michael Schumacher, que continua em situação clínica desconhecida após o grave acidente de esqui sofrido no fim de 2013.

Hall da Fama da Fórmula 1
Bruno Senna, ao lado do capacete do tio Ayrton, homenageado no Hall da Fama da FIA Julien Hekimian/Getty Images

Na cerimônia de gala, a FIA incluiu no Hall da Fama todos os 33 campeões da história da Fórmula 1, a começar pelo primeiro campeão da categoria, o italiano Giuseppe Farina, em 1950. Além de Ayrton Senna, foram incluídos Emerson Fittipaldi, dono de dois títulos, e Nelson Piquet.

Continua após a publicidade
Publicidade