Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Dana White: ‘Falei com Ronda e acho que ela não voltará a lutar’

Presidente do UFC acredita que derrota para Amanda Nunes tenha sido a última luta da carreira da estrela americana

Por da redação Atualizado em 31 jan 2017, 10h08 - Publicado em 31 jan 2017, 10h00

O massacrante nocaute sofrido diante da brasileira Amanda Nunes, em dezembro, pode ter sido a última luta da carreira de Ronda Rousey, a maior lutadora de UFC de todos os tempos. A luta ocorrida no dia 31 em Las Vegas durou apenas 48 segundos. O presidente do Ultimate, Dana White, revelou nesta terça-feira que conversou com Ronda no último fim de semana e que, para ele, a atleta que completará 30 anos nesta semana não deve mais voltar ao octógono.

“Falei com Ronda no caminho para a academia. Ela está bem, sabe, tocando a vida. Pelo que conversamos, se eu tivesse de dizer agora, e não gosto de falar dessas coisas porque cabe a ela decidir, mas diria que ela não lutará novamente. Acho que acabou e a partir de agora ela irá curtir o pôr do sol e a vida longe das lutas”, afirmou White ao site americano Flo Combat.

Dana White diz que as derrotas arrasadoras para Holly Holm e Amanda Nunes, as únicas da carreira de Ronda no MMA, abriram a mente da americana, que hoje tem se dedicado mais a vida de artista. “A partir do momento em que perdeu, acho que  ela passou a se perguntar: ‘por que estou fazendo isso? A vida é só isso?’ Acredito que Ronda quis experimentar outras coisas, e foi o que ela fez.”

Ao elogiar Ronda, o presidente do UFC ainda deu uma alfinetada no pugilista Floyd Mayweather, que vem tentando agendar uma luta de boxe contra Conor McGregor, o queridinho do UFC. “Ronda tem muito dinheiro, muito mais do que se pode gastar, a menos que comece a fazer loucuras como Floyd. Se você tem a quantidade de dinheiro que Ronda tem, não precisa mais trabalhar na vida.”

Dana ainda valorizou o legado deixado por Ronda Rousey, que reinou no UFC feminino entre 2013 e 2015. “Olha, estou feliz por ela. Ronda chegou ao UFC e mudou o mundo. Ela pôs o MMA feminino no mapa e protagonizou as maiores lutas da história do seu esporte. Espero que seus recordes possam ser quebrados. Não sei se isso é possível, mas torço para que seja.”

 

 

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês