Clique e assine com 88% de desconto

Cesar Cielo prepara volta às piscinas em segredo

Ao fechar seu retorno ao Esporte Clube Pinheiros, o maior campeão da história da natação brasileira dá os primeiros passos de volta ao ambiente competitivo

Por Da Redação - Atualizado em 4 fev 2017, 18h33 - Publicado em 4 fev 2017, 18h25

Depois de anunciar uma pausa na carreira no mês de outubro, o nadador Cesar Cielo voltou aos treinos no mês de janeiro sem grande alarde. O retorno às competições, no entanto, ainda não está definido. Porém, existem duas pistas importantes de que ele pode voltar a competir: uma parceria com uma consultoria científica para tentar nadar mais rápido e a assinatura de contrato com o Clube Pinheiros, formalizada apenas no final da noite desta sexta-feira.

No início do ano, Cielo começou a trabalhar com a Meazure – Ciências do Esporte, uma consultoria científica especializada na melhoria do desempenho dos atletas e parceira do Comitê Paralímpico Brasileiro. “O Cesar Cielo quer quantificar seus movimentos e buscar novas possibilidades para nadar mais rápido”, explica o diretor técnico Augusto Barboza.

Não se trata da contratação de serviços: o nadador quer ser mais veloz e a empresa, por sua vez, quer trabalhar com ele.

Na prática, são feitas duas avaliações principais. A primeira diz respeito à análise da técnica do nado. A consultoria possui um software próprio que mede as variações da velocidade ao longo da braçada 250 vezes por segundo. Em seguida, uma câmera posicionada embaixo d’água acompanha o movimento do atleta. O software cruza os dados e mostra onde Cielo pode melhorar.

Publicidade

A segunda análise registra a força de cada braçada do nadador, o que indica se o treinamento está dando resultados.

Os resultados não podem ser divulgados. Também não podem ser apresentados o ritmo de treinos e a frequência das análises. Sigilo é a marca da retomada de Cesar Cielo. Até os treinos que fez nas últimas semanas no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa foram secretos e cercados de pedidos de privacidade pelos assessores.

UMA ROTINA PUXADA – Ao lado do amigo Felipe França, bicampeão mundial de piscina cura, ele tem se dedicado quase que diariamente a exercícios na academia e na piscina. Chega por volta das 7h e sai às 11 horas, religiosamente. Procura pegar uma entrada em que os guardas já o conhecem e liberam a cancela rapidamente. Aos sábados, quando entra pela entrada principal, costuma ser atencioso com os fãs que pedem selfies e autógrafos. Ele é definido como “uma pessoa simples” pelos frequentadores do local.

Nesta sexta-feira, Cielo deu mais um sinal de que pode estar voltando para valer. Depois de ter seu contrato com o Minas Tênis Clube encerrado no final do ano passado, ele assinou contrato com o Esporte Clube Pinheiros. Embora a agremiação paulista tenha a política de apostar em jovens nadadores, a presença do ídolo de 30 anos é vista como inspiração e motivação para os novos talentos.

Publicidade

ÁGUAS ABERTAS – Nas redes sociais, o tricampeão mundial e campeão olímpico dos 50 m livre é ativo. Em janeiro, informou participação em uma clínica de natação na Argentina. Por lá, nadou um desafio em águas abertas de 50 metros com o argentino José Meolans, campeão mundial em piscina curta em 2002. A prova terminou empatada. “Ainda bem que a Poliana Okimoto não veio, senão a gente tomava um caldo dela! Não sabemos nadar em mar aberto, mas foi muito divertido”, escreveu sobre a brasileira que ganhou bronze no Rio.

Nos treinos, ele acompanha o programa enviado por Scott Goodrich, treinador norte-americano que o preparou no fim do ciclo dos Jogos Rio-2016. Após perder a vaga na Olimpíada e dar um tempo na carreira, sem falar em aposentadoria, Cesar está em processo de retomada.

A consultoria científica não diz por quanto tempo vai estudar a velocidade de suas braçadas. Para disputar o Mundial de Budapeste, em julho, ele precisará se classificar no Troféu Maria Lenk, marcado para abril.

(com Estadão Conteúdo)

Publicidade