Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Internet aprova Maju no ‘Jornal Hoje’, mas aponta deslize

Substituta de Sandra Annenberg, a jornalista se apresenta de pé e se movimenta pelo estúdio em novo cenário

Depois de dezesseis anos sob o comando de Sandra Annenberg, o Jornal Hoje, da TV Globo, passou a ser apresentado, a partir desta segunda-feira, 30, pela jornalista Maria Júlia Coutinho. Junto com a nova âncora, o vespertino trouxe ainda outras novidades, como mudanças na bancada do jornal e maior interatividade da apresentadora com o público.

Menos larga, mais alta e com a cor branca no lugar do antigo tom de cinza, a bancada deixou de ser parte fundamental do cenário: agora, a fim de se aproximar mais do telespectador, a jornalista apresenta o programa inteiro em pé e se movimentando pelo estúdio, variando entre os painéis em que se comunica com os repórteres. A apresentadora controla vídeos e artes que ilustram as matérias.

Maju adota também um estilo um pouco mais dinâmico e interativo, comentando muitas vezes a notícia como se estivesse conversando com o público. No início do programa, ela aproveitou para agradecer pela nova oportunidade em sua carreira. “Antes de mais nada, quero dizer que estou muito feliz nesse novo desafio da minha carreira”, afirmou a ex-garota do tempo. “Conto com a sua audiência e ‘vamo que vamo’.” 

A performance da nova âncora foi bastante elogiada pelos internautas nas redes sociais. Alguns, no entanto, não deixaram escapar deslizes, como o momento em que ela pronuncia “beneficiente” em vez de “beneficente”. Confira abaixo algumas reações:

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. E quem não iria aprova-la… uma negra linda e competente. Amei!

    Curtir

  2. Anselmo Cordeiro

    A raiz BENEFICI é a mesma de BENEFICIAR (e não BENEFIÇAR), beneficiamento (e não benefiçamento), etc. Logo, Maju está corretíssima no BENEFICICIENTE. Trata-se apenas de mais uma polêmica que divide os gramáticos. Errada mesmo é essa moda de trocar o verbo ESTAR pelo TER (“Eu tive na casa do meu amigo”, quando o correto é “Eu ESTIVE); (Eu “TAVA” com muito medo), e outros barbarismos que vão se tornando comuns.

    Curtir