Clique e assine a partir de 9,90/mês

Acusado de abuso, diretor Bryan Singer é retirado de indicação ao Bafta

Academia Britânica das Artes Cinematográficas e Televisivas afirma que o suposto comportamento do cineasta é incompatível com os valores do prêmio

Por EFE - 6 fev 2019, 20h31

A organização do Bafta, o principal prêmio do cinema britânico, retirou nesta quarta-feira o nome de Bryan Singer, diretor de Bohemian Rhapsody, como um dos creditados na indicação a melhor filme devido às acusações de abuso sexual a menores de idade. O longa será mantido na disputa pelo troféu, mas, caso seja premiado, só o produtor Graham King e o roteirista Anthony McCarten serão considerados vencedores.

“Em vista das sérias alegações que surgiram recentemente, informamos que a indicação de Bryan Singer por Bohemian Rhapsody foi suspensa”, informou a organização da premiação, que será realizada no próximo domingo.

A Academia Britânica das Artes Cinematográficas e Televisivas (Bafta) considerou que o comportamento de Singer é completamente inaceitável e incompatível com os valores do prêmio. A suspensão será mantida até que o caso seja esclarecido.

O revista americana The Atlantic revelou em janeiro depoimentos de quatro homens que afirmam que o diretor teve relações sexuais com eles quando eram adolescentes, na década de 1990. O cineasta nega as acusações

Continua após a publicidade

Em abril de 2014, Singer foi denunciado por estupro, mas o caso foi encerrado por inconsistências no relato do acusador, Michael Egan. que afirmou que o abuso havia acontecido quando ele era menor de idade. Em dezembro de 2017, o cineasta foi denunciado por outro homem de tê-lo estuprado em 2003. O caso segue sob investigação.

 

Publicidade