Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Direção da USP e invasores da reitoria não chegam a acordo

Justiça tem 48 horas para julgar pedido de reintegração de posse solicitado pela universidade

Por Da Redação 8 out 2013, 19h11

Não houve acordo na audiência de conciliação realizada na tarde desta terça-feira entre representantes da Universidade de São Paulo (USP) e os estudantes que ocupam o edifício da reitoria há uma semana reivindicando eleições diretas para os cargos de reitor e vice. A USP propôs que os estudantes deixassem o prédio imediatamente, oferecendo em troca uma reunião com o reitor João Grandino Rodas em data a ser definida. Os membros do Diretório Central dos Estudantes (DCE), por sua vez, disseram que só desocupariam o local se pudessem conversar com Rodas no mesmo dia – o que não foi aceito pela administração da universidade.

Leia também:

Reinaldo Azevedo: A USP é de todos os paulistas, não de um grupo de estudantes​

​Justiça nega pedido de reintegração de posse da reitoria da USP

Agora, o juiz Adriano Marcos Laroca, da 12ª Vara da Fazenda Pública, tem 48 horas para deferir ou não o pedido de reintegração de posse solicitado pela USP na última quinta-feira. Também estiveram presentes na audiência representantes do sindicato dos funcionários e da associação dos docentes da USP. Ambas as categorias são simpáticas à invasão, mas requerem a retirada de seus nomes do processo, do qual constam como rés.

Cronologia – A ocupação do edifício da reitoria ocorreu na terça-feira da semana passada. O grupo de estudantes também pede a anulação das decisões tomadas pelo Conselho Universitário (CO), instância máxima da USP, que aprovou mudanças no sistema de escolha de reitor e vice-reitor, como a redução do número de turnos e a realização de consulta informativa à comunidade acadêmica antes do processo eleitoral. O mandato do atual reitor, João Grandino Rodas, vai até 25 de janeiro de 2014.

A realização da audiência desta terça-feira foi determina na última quinta-feira pela 12ª Vara da Fazenda Pública em resposta à solicitação de reintegração de posse por parte da USP. A instituição teve o pedido negado pela Justiça.

Continua após a publicidade
Publicidade