Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Presidente da Academia do Oscar é acusado de assédio sexual

Mandato de John Bailey foi marcado por outros escândalos sexuais, como os envolvendo Harvey Weinstein e Casey Affleck

Por Da redação 16 mar 2018, 18h48

John Bailey, presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas — responsável pelo Oscar –, está sendo investigado por assédio sexual. Segundo o site da revista Variety, a Academia recebeu três acusações contra o diretor de arte na última quarta-feira e imediatamente abriu um inquérito para averiguá-las.

  • Bailey foi eleito presidente da Academia em agosto do ano passado. Seu mandato foi marcado por escândalos sexuais, que levaram a expulsão de Harvey Weinstein da instituição e a substituição de Casey Affleck na última cerimônia do Oscar. Diante desses e outros casos, a instituição criou também um novo código de conduta, que prevê punições aos membros culpados de assédio sexual, abuso ou discriminação de qualquer tipo.

    Em fevereiro deste ano, Bailey se referiu ao período como uma “encruzilhada de mudanças”. “Nós estamos testemunhando esta academia de cinema reinventar a si mesma diante dos nossos olhos. Há uma maior preocupação e responsabilidade no equilíbrio de gênero, raça, etnia e religião”, defendeu ele, durante um almoço com os indicados ao Oscar deste ano.

    O diretor de fotografia ficou conhecido por Gente Como a Gente (1980), que ganhou um Oscar de melhor filme. Seus trabalhos indicados ao prêmio foram Melhor Impossível (1997), com Jack Nicholson, e Na Linha de Fogo (1993), com Clint Eastwood. Seu trabalho mais recente é Como se Tornar um Conquistador (2017).

    Caso Bailey seja afastado, a vice-presidente Lois Burwell assume o cargo até julho, quando acontecem as eleições na Academia.

    Continua após a publicidade
    Publicidade