Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Musical de Bruce Springsteen será o primeiro a retornar à Broadway

Espetáculo biográfico terá nova temporada a partir do dia 26 de junho e marca retomada do complexo teatral, fechado há mais de um ano

Por Amanda Capuano 8 jun 2021, 09h43

O musical biográfico do roqueiro Bruce Springsteen, que teve 236 apresentações entre 2017 e 2018, ganhou nova temporada e será o primeiro do gênero a retornar aos palcos da Broadway desde que o complexo teatral nova-iorquino fechou as portas no início de março de 2020. O espetáculo, que tem performance do próprio músico, fará sua reestreia no dia 26 de junho, com apresentações previstas até o dia 4 de setembro. “Eu amei fazer Springsteen On Broadway e estou emocionado de ter sido convidado a repetir o show como parte da reabertura”, disse Bruce em nota divulgada no site da atração. Os ingressos começam a ser vendidos na quinta-feira, 10, através do site.

O retorno acontece em um momento de alívio para os americanos, que retomam aos poucos a vida normal graças a alta taxa de vacinação do país. Segundo a NBC, a cidade de Nova York, que chegou a registrar mais de 1.000 mortes por dia, teve uma redução de 95% no número de infecções desde janeiro, e a maior parte dos estabelecimentos já pode funcionar com capacidade total. No caso do musical de Springsteen, no St. James Theatre, a entrada será autorizada mediante apresentação de um comprovante de vacina que prove imunização completa (14 dias a partir da segunda dose) com a Pfizer, Moderna, Johnson & Johnson (essa de dose única) ou qualquer outra vacina aprovada em caráter emergencial pela OMS — o que inclui a Coronavac. Menores de 16 anos poderão entrar sem a vacina, acompanhados por um maior vacinado, se apresentarem teste de antígeno ou PCR negativo. Além disso, todos os sistemas de ventilação do auditório foram atualizados com um filtro especial, a entrada será escalonada e os participantes deverão preencher uma avaliação de saúde 24 horas após o show.

Em maio, o St. James Theatre abriu as portas para receber uma apresentação de Nathan Lane e Savion Glover, vencedores do Tony Awards, o “Oscar” do teatro. A ação deu início a um programa de testes com os teatros da Broadway, que agora receberão um musical de verdade com a reestreia do musical de Springsteen. Embora a maior parte das restrições já tenham caído na cidade, os produtores da Broadway escolherem a cautela. Segundo o New York Times, cerca de 30 shows devem retomar as apresentações até o final de 2021 – metade em setembro, incluindo os badalados Hamilton, O Rei Leão e Wicked, e o restante espalhado ao longo do último trimestre. Isso acontece porque o complexo é altamente alimentado pelo turismo: segundo o relatório da última temporada, divulgado pela Broadway League, cerca de 65% dos expectadores de 2019 vieram de fora, e as viagens internacionais ainda enfrentam entraves logísticos. Como o alto custo de produção impede que os shows se sustentem com limitações de capacidade, os produtores não podem se dar ao luxo de arriscar salas vazias.

  • Na última temporada contabilizada (2018-2019), a Broadway arrecadou o montante de 1,83 bilhão de dólares em bilheteria, conforme divulgado pelo canal CNBC. Sem os dados atualizados, a emissora estima que o complexo tenha tido uma receita de cerca de 300 milhões de dólares em ingressos durante as 10 semanas que funcionou em 2020 — pouco mais de 16% do valor conquistado em um ano. Além do valor dos ingressos e de mais de 1.000 empregos perdidos, Charlotte St. Martin, presidente da Broadway League, estimou que o fechamento do complexo tenha custado quase 15 bilhões de dólares aos cofres da cidade. Os rendimentos da noite de abertura de Springteen On Broadway serão doados para a uma série de instituições de caridade de Nova York.

    Continua após a publicidade
    Publicidade