Clique e assine com até 92% de desconto

Modelo da SPFW teve ‘morte súbita sem causa aparente’, diz B.O.

Irmã diz que especulações sobre óbito por uso de drogas ou má alimentação são 'absurdas'

Por Da Redação Atualizado em 29 abr 2019, 10h53 - Publicado em 29 abr 2019, 01h10

O boletim de ocorrência sobre a morte do modelo Tales Cotta, ocorrida neste sábado, 27, durante um desfile da São Paulo Fashion Week (SPFW), não identificou uma causa aparente para o óbito. Um laudo necroscópico será realizado em busca de uma conclusão.

No documento, a Polícia Civil diz que o jovem, de 26 anos, teve uma “morte súbita sem causa determinante aparente” e registra o caso como uma “morte suspeita a esclarecer”. O velório foi marcado para esta segunda-feira, 29, na Capela do Hospital Cesar Leite em Manhuaçu (MG), cidade natal de Cotta – cujo nome verdadeiro era Tales Newton Gomes Alvarenga Soares.

Ao jornal O Globo, o agente Rogério Campaneli, da agência Base MGT, declarou que médicos que atenderam o rapaz suspeitam de um problema congênito.

“Acabei de voltar do hospital, fui levar o boletim de ocorrência. Os médicos suspeitam que Tales pudesse ter algum problema congênito. Pelos vídeos, eles acreditam que ele morreu na passarela. Foi tudo tão rápido: ele deu um beijo no amigo que estava mais atrás na fila, nos bastidores, andou e caiu”, contou Campanelli.

  • A irmã do modelo, Alexandra Soares, em entrevista ao portal G1, afirma que Cotta não usava drogas e seguia um estilo de vida saudável.

    “Ele fazia crossfit, yoga, meditava, não usava drogas e tinha uma alimentação super saudável. É difícil entender. Só mesmo quando a gente tiver o laudo na mão para saber o que realmente aconteceu. Existem várias especulações. Estão dizendo várias inverdades, como por exemplo, (que a causa foi) anorexia, droga, veganismo, estresse ou, ainda, porque não ofereceram lanche vegano antes do desfile. Umas coisas absurdas”, declarou.

    A Base MGT e a All Models, agências que representavam Cotta, também se pronunciaram sobre o ocorrido.

    “Ressaltamos que Tales nunca apresentou ou se queixou de problemas de saúde. Ele mantinha uma dieta saudável (era vegetariano), não usava substâncias ilícitas e estava em plenas condições para participar do desfile”, publicou a Base MGT no Instagram.

    O agente Faelo Ribeiro, da All Models, disse que o modelo se mostrou inseguro antes de desfilar, por conta de uma sandália que calçava, e que a falta de comida e o calor que fazia no local podem ter ocasionado o mal súbito que levou a sua morte.

    “Nunca foi o foco dele ficar sem comer, ele se alimentava muito bem”, acrescentou Ribeiro. “Ele sempre praticou muito exercício físico, como capoeira e yoga. Ele se cuidava muito”.

    “Quando tudo começou, um menino cheio de sonhos há sete anos, de alguma forma sabíamos que você iria muito longe e você foi, nos ensinou muito e nos encantou durante todos esses anos que tivemos a honra de conviver com você”, escreveu a agência All Models em suas redes sociais.

    O modelo Tales Cotta desmaiou durante desfile na SPFW
    O modelo Tales Cotta desmaiou durante desfile na SPFW Leco Viana/Thenews2/Folhapress

    No desfile pela marca Ocksa, Cotta, de 26 anos, usou uma sandália com fitas amarradas. Durante sua passagem pela passarela, o modelo teria tropeçado no calçado e caído. Os participantes do evento, por pensarem que se tratava de uma performance do desfile, demoraram a reagir.

    Segundo testemunhas, a equipe de socorristas levou em torno de três minutos para prestar o atendimento. Na sequência, a transmissão dos desfiles foi cortada.

    Continua após a publicidade
    Publicidade