Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Confira uma seleção com os melhores botecos da cidade

Lista tem 28 estabelecimentos que integram o guia VEJA COMER & BEBER CURITIBA 2018/2019

Por Josi Basso, Larissa Angeli, Letícia Cardoso, Mara Andrich, Rosane Freire e Rosângela Machado 4 set 2018, 15h19

CAMPEÃO: BarBaran é eleito o melhor boteco de Curitiba

Ao Distinto Cavalheiro

Tem jeitão de bar antigo, dos anos 1940 e 1950. Muitos clientes escolhem começar por uma das mais de vinte cachaças mineiras. A dose de Claudionor sai por R$ 7,90. Para não beber de barriga vazia, as especialidades da casa são o bolinho de carne (R$ 9,50) e a carne de onça (R$ 24,90). O salsichão alemão satisfaz dois apetites (R$ 24,90) — são duas salsichas (branca e vermelha) ladeadas de chucrute e pão. Pelo chope Brahma pagam-se R$ 9,50. Rua Saldanha Marinho, 894, Centro, ☎ 3019-4771 (45 lugares). 17h30/0h30 (sáb. 15h30/21h; fecha dom.). Aberto em 2002.

Bar do Edmundo

O cardápio renovado deste bar destaca os frutos do mar em versões para compartilhar. A porção de friturinhas pedacinho do litoral tem anéis de lula, peixe, camarão e minibolinho de bacalhau (R$ 108,00). O shrimp lovers entrega 1 quilo de camarão em receitas sortidas (paulista, bafo, milanesa e abraçadinho) a R$ 145,00. Cada uma alimenta até seis paladares. Aos sábados, tem feijoada na Rua México (R$ 68,00, para quatro). Avenida Prefeito Erasto Gaertner, 1764, Bacacheri, ☎ 32572407 (150 lugares). 18h/0h (fecha dom.); Rua México, 86, Bacacheri, ☎ 3356-3886 (160 lugares). 18h/0h (sáb. 11h/0h; fecha dom. e seg.). Aberto em 1965. Aqui tem iFood.

Bar do Pachá

No comando das caçarolas, o chef e proprietário da casa, Zico Garcez Pachá, prepara substanciosos pratos para dividir, como camarão ao molho de champanhe com maçã verde e alho-poró (R$ 125,00) e filémignon à chateaubriand, ao molho madeira e champignon (R$ 61,00). Por R$ 23,00 a dose, o garçom traz a caipirinha de bananada-terra. No desfecho, tem minichurros de doce de leite (R$ 12,00, quinze unidades). Rua Cláudio Manoel da Costa, 558, Bom Retiro, ☎ 3044-4480 (70 lugares). 18h/23h30 (sáb. 12h/0h; dom. 12h/16h). Aberto em 2010. Aqui tem iFood.

Bar do Pudim

Clássico da boemia curitibana, o bar está com novidades no cardápio. As coxas de rã à milanesa, por exemplo, saem da cozinha em porções com quatro (R$ 60,00) e oito unidades (R$ 110,00). O anfíbio inteiro fica por R$ 39,00. Também para petiscar, a linguiça de pernil recheada de damasco e castanha-do-pará custa R$ 34,00, mesmo preço dos provolones com tomate seco, vinagrete, farinha de mandioca e pão francês. Ao lado dos pedidos surge garrafas de Serramalte ou Stella Artois (R$ 12,00 cada uma). Praça do Redentor, 322, São Francisco, ☎ 3323-1553 (90 lugares). 17h/0h (sab. 12h/22h; fecha dom.). Aberto em 1968. Aqui tem iFood.

Bar Luzitano

Quem fundou o bar foi o português Arão da Costa Cardoso, mas há 25 anos o estabelecimento está nas mãos de sua filha Maria Tereza, a Terezinha. Ela conta que os campeões de pedidos são o frango à passarinho (R$ 24,00 a porção) e o bolinho de carne frito na hora e servido no pão com cheiroverde e queijo derretido (R$ 7,00 a unidade). Às quartas, a cozinha quase não vence a procura por dobradinha (R$ 20,00 a cumbuca). Às sextas, é servida carne de onça (R$ 7,50). Cerveja Antarctica (R$ 7,00) e pinga Boazinha (R$ 8,00 a dose) completam as escolhas. Avenida João Gualberto, 1837, Juvevê, ☎ 3252-5651 (30 lugares). 8h/0h (dom. 10h/22h). Aberto em 1962.

Bar Martelo

Relógios, fotos de times de futebol e rótulos de cerveja enfeitam as paredes do boteco fundado há 36 anos. Entre os petiscos mais procurados, os pastéis de carne e de palmito são vendidos a R$ 5,00 cada um. Outra iguaria preferida pelos clientes é a carne de onça. O corte de primeira é temperado com cheiro-verde, cebola picada e condimentos e disposto sobre uma fatia de broa preta (R$ 14,00). Para beber, tem caipirinha de limão com vodca (R$ 8,00) e cervejas Brahma, Skol ou Antarctica (R$ 8,50 cada uma). Rua Conselheiro Dantas, 611, Prado Velho, ☎ 3332-2243 (24 lugares). 9h/13h30 e 16h/22h (sáb. 10h/19h; dom. 10h/14h). Aberto em 1982.

Bar Ornitorrinco

Na porção da roça, a linguiça colonial é servida aqui com batata rústica assada (R$ 23,00). O preço é o mesmo para cada uma das porções de polenta cremosa: com ragu de linguiça e com cogumelos salteados — essa última é sugestão vegana. Por uma cerveja pilsen Insana pagam-se R$ 8,00. Tem programação musical de quinta a domingo. Rua Benjamin Constant, 400, Centro, ☎ 3121-2334 (30 lugares). 18h/0h (qui. 18h/1h; sex. e sáb. 18h/2h30; dom. 17h/22h). Aberto em 2016.

Bar Stuart

Considerado um dos bares mais antigos do Brasil em atividade, é conhecido por servir pratos menos comuns. O rabo de jacaré especial, cozido e frito, é guarnecido de farofa, alface e chimichurri (R$ 120,00). Para petiscar, as porções de coelho e de testículo de touro custam R$ 60,00 e R$ 39,00, respectivamente. A caipirinha de maracujá com vodca nacional custa R$ 22,00. O chope é Stella Artois (R$ 11,00). Praça General Osório, 427, Centro, ☎ 3323-5504 (110 lugares). 9h/23h (sáb. e dom. 9h/16h). Aberto em 1904. Aqui tem iFood.

Beija-Flor Bar e Restaurante

Silvio Barros é português e veio da Ilha da Madeira para o Brasil em 1956. Há 45 anos, fundou o Beija-Flor. Por R$ 60,00, dá para compartilhar a alcatra orelha de elefante acompanhada de arroz, feijão, salada e batata frita. Às terças, a dobradinha tem como acompanhamento arroz, salada, feijão-preto e maionese (R$ 19,00). A feijoada, aos sábados, satisfaz três paladares (R$ 75,00). Ao lado dos pratos, surgem garrafas de Serramalte ou Original (R$ 12,00 cada uma). A cachaça é cortesia. Rua Paula Gomes, 170, São Francisco, ☎ 3232-5181 (70 lugares). 7h/19h (sáb. 8h/15h; fecha dom.). Aberto em 1972.

Boteco de Sampa

Grupos de amigos compartilham petiscos e pratos maiores. A picanha na chapa é servida em tiras e chega à mesa na grelha para ficar no ponto desejado. Acompanham pão alemão de fabricação própria, vinagrete e farofa (R$ 79,90). Preparada aos olhos do cliente e bem temperada, a carne de onça custa R$ 49,90. Todos os dias tem música ao vivo. Aos sábados, a feijoada é colocada no bufê a R$ 30,00 por pessoa ao som de samba de raiz. O chope é Eisenbahn (R$ 10,00). Rua Alferes Poli, 1850, Rebouças, ☎ 3332-6441 (140 lugares). 16h/0h (sex. 16h/2h; sáb. 12h/0h; fecha dom.). Aberto em 2004. Aqui tem iFood.

Casa Velha

Neste endereço quase centenário, faz sucesso o bolinho de carne recheado de queijo provolone (R$ 19,90, seis unidades). Guarnecida de pão e cheiro-verde, a dobradinha vem na cumbuca por R$ 14,90. Na sexta é servida a costela assada por quilo (R$ 47,90), e no sábado a feijoada completa custa R$ 58,90 e serve duas pessoas. A casa conta com mais de trinta rótulos de cerveja, que variam de R$ 8,50 a R$ 29,00. Rua Mateus Leme, 5981, Abranches, ☎ 3354-4050 (120 lugares). 16h30/0h (sáb. 12h/0h; fecha dom.). Aberto em 1927. Aqui tem iFood.

Dom Rodrigo

Sobre as mesas, ao lado de garrafas de cerveja Amstel (R$ 10,00) e Original (R$ 12,00) geladas, os garçons colocam porções de bolinho de carne com queijo provolone e parmesão (R$ 28,00, doze unidades) e de torresmo em tiras (R$ 4,00, 80 gramas) ou em cubos (R$ 13,00, 300 gramas). O lombo especial chapeado com rúcula, vinagrete, molho de gorgonzola, mussarela e parmesão vem acompanhado de seis barquetes de massa folhada com pasta de berinjela (babaganuche). Pelo prato completo pagam-se R$ 25,90. Avenida Toaldo Túlio, 2275, São Braz, ☎ 99138-6566 (100 lugares). 17h30/0h (fecha sáb. e dom.). Aberto em 2001.

Don Max

A duas quadras da Arena da Baixada, torcedores do Atlético Paranaense (e não só) entretêm o paladar com porções como as de filé-mignon gratinado com berinjela (R$ 39,90) e de casca de cordeiro (R$ 45,00). Essa última entrega seis espetinhos de cafta ao molho de hortelã. As cervejas de 600 mililitros Original e Serramalte (R$ 13,00 cada uma) rivalizam no cardápio de bebidas com a cachaça de nêspera (R$ 7,00 a dose) e o chope pale ale Don Max (R$ 22,00, 500 mililitros), uma parceria da casa com a cervejaria Blondine. Rua Tenente Max Wolf Filho, 37, Água Verde, ☎ 3343-7989 (54 lugares). 12h/0h (dom. 15h30/0h). Aberto em 1996. Aqui tem iFood.

Continua após a publicidade

Gruta da Onça

O nome do boteco denuncia: um dos clássicos do local é a carne de onça, que vem acompanhada de três fatias de broa (R$ 40,00). De quarta a sábado, serve feijoada tradicional (R$ 60,00 a cumbuca) e leve, com menos gordura (R$ 70,00 a cumbuca). Na ala dos petiscos, aipim com bacon (R$ 20,00, quinze unidades) e batata frita (R$ 18,00) chamam a cerveja Original gelada (R$ 13,00). Rua Alferes Poli, 3333, Parolin, ☎ 3332-0509 (220 lugares). 11h/14h e 17h/21h30 (sáb. até 17h; fecha dom. a ter.). Aberto em 1984.

Jabuti

Aos sábados, o bar serve bufê de feijoada (R$ 42,90 por pessoa). Ao lado dos caldeirões enfileiram-se caldinho de feijão, costelinha, pernil de porco à pururuca, banana frita e torresmo. De segunda a sexta (17h/20h), o tronquinho de cupim (R$ 30,90, doze unidades) anima a happy hour. É uma espécie de bolinho de carne desfiada passada na farinha panko. Chopes Brahma (R$ 9,90, 450 mililitros) e Colorado (R$ 12,00, 350 mililitros) acompanham os pedidos. Rua Professor Assis Gonçalves, 1506, Água Verde, ☎ 3229-5054 (180 lugares). 7h/23h30 (sáb. a partir das 12h; fecha dom.). Aberto em 1998. Aqui tem iFood.

Jacobina

Da cozinha saem petiscos como o camarão folgado, em que o crustáceo empanado em farinha crocante é servido com geleia de pimenta e requeijão e uma caminha de parmesão (R$ 29,00, seis unidades). Muita gente vai de sanduíche de frango empanado e crocante montado em pão francês redondo recheado de queijo de coalho, salada e molho de agrião (R$ 18,00). O coquetel de toranja e gim Tanqueray, tônica e xarope Monin de toranja custa R$ 18,90. Rua Almirante Tamandaré, 1365, Juvevê, ☎ 30166111 (126 lugares). 11h30/1h (fecha dom.). Aberto em 2005. Aqui tem iFood.

La Boca Gastrobar

Entre as escolhas mais frequentes figuram o tartare de tainha, em que os filés de peixe temperados com gengibre recebem a companhia de azeitona, mostarda e gema de ovo (R$ 26,00), e o choripan de linguiça de pernil ao chimichurri (R$ 16,00). Da seção de coquetelaria são expedidos drinques como o bolchevique (vodca, tônica de canela, suco de limão e Angostura; R$ 20,00) e o ousadia e alegria (cachaça, suco de maracujá, mel de laranjeira e café; R$ 10,00). Rua Visconde do Rio Branco, 367, Mercês, ☎ 3323-5147 (35 lugares). 18h/0h (fecha sáb. e dom.). Aberto em 2012.

Maneko’s Bar

O boteco do Seu Maneko mantém a simplicidade, o balcão de fórmica e a fami liaridade dos funcionários antigos, caso da cozinheira Helena Alves de Campos, na casa há 23 anos, e do garçom Nilson Costa da Silva, o Passarinho, que trabalha ali há três décadas. Helena prepara (e Passarinho entrega) bolinho de carne vendido por unidade (R$ 6,00) e sanduíche prensadinho de bife, queijo, ovo, cheiro-verde e pão francês (R$ 17,00). Outra pedida caprichada é o bife à parmegiana (R$ 38,50, 500 gramas). O chope Brahma sai a R$ 9,00 (300 mililitros). Alameda Cabral, 19, Centro. Não tem telefone (40 lugares). 9h/22h30 (sáb. até 18h; fecha dom.). Aberto em 1988.

Mercearia Fantinato

Tomate recheado de linguiça (R$ 18,60) e de camarão à baiana (R$ 25,95) são dois petiscos emblemáticos do lugar. O bife azedo, em que as iscas de carne bovina com cebola e molho de limão são feitas para comer com pão fatiado, vai bem ao lado do chope ao estilo submarino, com uma dose de aguardente Wacholder (R$ 20,60, 530 mililitros). A cachaça de butiá (R$ 10,45 a dose) é outra escolha possível. Rua Mateus Leme, 2553, Bom Retiro, ☎ 3023-1953 (100 lugares). 11h/1h (fecha dom.). Aberto em 2008.

O Pensador

Grupos de amigos põem o papo em dia ao redor das combinações acertadas da cozinha, caso do churrasco de bife ancho (400 gramas) na parrilla argentina, guarnecido de farofa caseira mais batata-brava, tomate grelhado e chimichurri (R$ 55,00), e da porção buffalo wings (R$ 25,00) — são 250 gramas de asa de frango frita ao molho de pimenta. Enquanto isso, torneiras de chope preenchem copos de 400 mililitros, como o americano Brooklyn IPA (R$ 25,00) ou o brasileiro Mutum Cavalo (R$ 18,00). Ao todo, são 24 tipos. Rua Visconde do Rio Branco, 766, Mercês, ☎ 3092-0011 (70 lugares). 18h/0h (sex. e sáb. até 1h; fecha dom.). Aberto em 2005.

Quintal do Monge

O bar divide uma parede com a Igreja da Ordem, a mais antiga da cidade, construída em 1737. Quem entra já vê, à direita, o muro de pedra. O forte da casa são as doze variedades de chope artesanal. O pilsen da Klein sai por R$ 7,50 (300 mililitros) ou R$ 9,90 (500 mililitros). Para não beber de barriga vazia, prove o fish and chips (R$ 26,00) e hambúrguer aos quatro queijos — mussarela, provolone, cheddar e gorgonzola – (R$ 26,00). Rua Dr. Claudino dos Santos, 24, São Francisco, ☎ 3232-5679 (250 lugares). 11/2h (dom. até 21h; fecha seg.). Aberto em 2013.

Sal Grosso

Funciona em um prédio tombado dos anos 1930. A cerveja trincando — Original e Budweiser, a R$ 10,00 cada uma — costuma escoltar a alcatra orelha de elefante, guarnecida de salada, maionese, farofa e arroz. O prato custa R$ 89,00 e alimenta três pessoas. Também para petiscar em grupo, o trio sal grosso entrega filé ­mignon, calabresa, batata frita e farofa (R$ 53,00). Rua Dr. Claudino dos Santos, 259, São Francisco, ☎ 32228286 (120 lugares). 11h/2h. Aberto em 1986.

Silzeu’s

Não é difícil deduzir a vocação futebolística do local: mais de 250 camisas de times decoram o espaço, que chega a transmitir até quatro jogos simultaneamente. O chope da Eisenbahn de 500 mililitros custa R$ 13,80 (pale ale) ou R$ 12,90 (pilsen). Tem o nome de zagallo a bebida que mistura conhaque, leite condensado e limão (R$ 19,80). Das sete variações de pão com bolinho, a maioria dos clientes prefere o que leva provolone, alface, tomate e maionese de alho, no pão francês (R$ 14,10). Rua Via Veneto, 500, Santa Felicidade, ☎ 3077-2953 (110 lugares). 17h45/0h45 (seg. 17h/23h; sex. 17h45/1h45; sáb. 12h/1h45; dom. 12h/23h45). Aberto em 1964. Aqui tem iFood.

Tasca Bar

Neste boteco de raiz portuguesa a porção de bolinho de bacalhau tem três ou seis unidades (R$ 9,00/R$ 18,00). Para fomes maiores, as sugestões são o sanduíche de gajo — linguiça portuguesa e cebola caramelizada (R$ 15,00) — e a francesinha, um lanche gratinado em que o pão caseiro, recheado de bife, linguiça, queijo e presunto, recebe molho de tomate e ovo estalado (R$ 29,00). Animam a conversa taças do vinho tinto ou branco Quinta de Bons Ventos (R$ 14,00 cada uma) e os coquetéis à base de gim (R$ 23,00). Rua Coronel Dulcídio, 739, loja 8, Hauer Shopping, Batel, ☎ 99762-1450 (60 lugares). 18h/2h (ter. e dom. 18h/0h; fecha seg.). Aberto em 2017. Aqui tem iFood.

O Torto Bar

O nome é homenagem às pernas tortas de Mané Garrincha e as paredes contam a história do craque coletada desde que Arlindo Ventura, dono do bar e conhecido como Magrão, tinha 11 anos. Para conseguir uma mesa, há que se chegar cedo — e não demora para a calçada na esquina das ruas Paula Gomes e Duque de Caxias ficar lotada de gente compartilhando uma Original (R$ 12,00) ou segurando a long neck de Stella Artois (R$ 6,00), enquanto devora bolinho de carne (R$ 4,50 e R$ R$ 4,00, na versão de soja) ou empadinha de palmito (R$ 5,00). Rua Paula Gomes, 354, São Francisco, ☎ 30276458 (30 lugares). 5h/12h. Aberto em 2003.

Vallentina

Aos sábados, é tradicional a feijoada em cumbucas guarnecidas de couve, arroz, laranja, torresmo e, como aperitivo, o caldinho de feijão de aperitivo (R$ 58,00 por pessoa). O contrafilé em tiras acebolado e temperado com shoyu, mais pão francês fatiado e farofa (R$ 34,00, para quatro pessoas) encontra boa companhia nas cervejas artesanais com o rótulo da casa. Tem IPA, APA e belgian blond (R$ 22,00 cada uma). Rua Almirante Gonçalves, 2848, Rebouças, ☎ 3092-3353 (70 lugares). 18h/23h30 (sáb. 11h30/18h; fecha dom.). Aberto em 2006.

Zezito’s

A função é conduzida há 63 anos pela mesma família. A cozinha expede receitas caprichadas, do pão com bife (R$ 17,00) à porção que tem o nome de comigo ninguém pode — são bolinhos de aipim recheados de calabresa e requeijão (R$ 27,50, quatro unidades). O zezito’s fitness é uma omelete de peito de frango com pão integral e salada (R$ 23,50). Sobre as mesas, sempre são vistas as cervejas Serramalte e Original (R$ 14,50) e a caipirinha (R$ 20,70). Rua Dom Pedro I, 345, Água Verde, ☎ 30140828 (170 lugares). 18h/0h (fecha sáb. e dom.). Aberto em 1955.

Continua após a publicidade
Publicidade