Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Mauricio de Sousa: “É lógico que quero entrar para a ABL”

Cartunista falou a VEJA sobre o impacto cultural de seus desenhos e do desejo de entrar para a Academia Brasileira de Letras

Por Felipe Branco Cruz Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 23 mar 2023, 18h54 - Publicado em 17 mar 2023, 06h00

Nos 60 anos da Mônica, como avalia o impacto cultural da personagem? Vou dar um exemplo no exterior. Há alguns anos publicávamos as historinhas da Mônica na Indonésia, e descobrimos que as meninas de lá começaram a abrir clubinhos porque queriam ser iguais a ela. Num país repressivo, elas viam a personagem como sendo dona de si.

O senhor é pai de dez filhos. Além de Mônica, que inspirou a personagem, como eles influenciam seu trabalho? Cada filho é um retrato falado. A Mônica é determinada, briga pelo que acredita. Não à toa, é diretora comercial. Mas ver sua filha comendo uma melancia inteira, como aconteceu com a Magali, também pode inspirar um personagem. Até hoje ela é assim. Uma vez, me disse que o ex-marido não era romântico porque não comprava lasanha para ela.

Que tipo de cuidados toma ao criar as historinhas? Nossa mensagem é muito poderosa e pode interferir no comportamento da criançada. Por isso, nossos personagens não fumam nem bebem. Percebi que há hábitos que não devemos mostrar porque as crianças assimilam esses costumes. É por isso que hoje a Mônica não bate mais em ninguém. Ela pode até girar o coelhinho, mas não bate. Também evitamos qualquer tipo de preconceito ou agressão a qualquer ser vivo.

Como um dos maiores autores infantis do país, o senhor espera ser eleito para a Academia Brasileira de Letras? É lógico que quero (entrar na ABL), mas tenho de esperar o tempo adequado e certo. Já sou membro da Academia Paulista de Letras e fico babando quando o pessoal de lá começa a conversar. Também fico um pouquinho triste porque não falo latim ou grego como alguns deles falam. Admiro os acadêmicos e preciso correr atrás para chegar ao nível de sofisticação deles.

Publicado em VEJA de 22 de março de 2023, edição nº 2833

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.