Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Cancelado, Johnny Depp leva ex-mulher aos tribunais

Ator entrou com um processo de difamação contra Amber Heard, sua ex-esposa, que o acusou de violência doméstica

Por Marcelo Canquerino Atualizado em 11 abr 2022, 13h07 - Publicado em 11 abr 2022, 12h47

A longa batalha pública e judicial entre Amber Heard e Johnny Depp ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira, 11. O ex-casal vai se enfrentar nos tribunais em um processo milionário movido pelo ator que acusa a ex-esposa de difamação e pede 50 milhões de dólares (235 milhões de reais, na cotação atual). Depp alega que Heard o difamou em um editorial escrito em 2018 para o jornal americano The Washington Post, no qual ela relata ter sofrido abuso doméstico enquanto era casada com o ator. O texto não menciona diretamente o nome de Depp, mas, de acordo com documentos judiciais, ele disse que a publicação era claramente sobre o casamento dos dois e que foi responsável por “devastar” sua reputação e carreira.

O caso, que irá durar em torno de seis semanas, será julgado no condado de Fairfax, na Virgínia, Estados Unidos, e deve ser televisionado. É esperado que as duas partes deponham e que outras testemunhas grandes façam parte do processo, como Elon Musk, com quem Amber Heard trocou mensagens durante o casamento, e James Franco, que a atriz diz ter visto hematomas em seu rosto causados por Depp após uma briga.

Essa é apenas mais uma batalha judicial que Johnny Depp entra envolvendo as acusações de violência doméstica da ex-esposa. Em novembro de 2020, o ator perdeu uma ação judicial que moveu contra o editor do jornal The Sun, Dan Wootton, que se referiu a Depp como “espancador de esposa” na manchete de um artigo publicado em 2018. A atriz acusa o ex-marido de ter protagonizado episódios violentos com ela, que incluíam arrancar tufos de seus cabelos, cabeçadas e tapas, de acordo com documentos judiciais.

No processo, aberto em março de 2019, Depp nega ser um agressor doméstico. O ator afirma que as acusações de Amber Heard são uma “farsa elaborada” usadas para aumentar sua personalidade pública — o que a tornou “queridinha do movimento #MeToo”. O ator também acusa a ex-esposa de tê-lo socado, chutado e atirado objetos, o que incluí uma garrafa de vodca que ele alega ter quebrado na bancada e decepado a ponta de um de seus dedos. Em documentos judiciais, Heard falou que nunca atacou Depp, apenas em casos de legítima defesa ou quando foi necessário proteger sua irmã mais nova. A atriz também afirmou que a ponta do dedo do ator foi cortada, na verdade, quando ele bateu o telefone na parede durante um momento de fúria.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)