Clique e assine a partir de 9,90/mês

As Candinhas do BBB11

Reis do tricô, Lucival e Daniel não perdoam ninguém – nem eles mesmos

Por Maria Carolina Maia - 26 jan 2011, 19h06

Mauricio poderia ter escolhido outra pessoa, e não Michelly, para a temporada de dezessete horas no quarto dourado. Igor é um bobo, um chato que faz tipo. Já o engenheiro Cristiano é um “tipão”. A roraimense Paula tem de, bem, o termo é irreproduzível, e seu jeito de andar merece uma imitação debochada. Não há quem escape à pauta do jornalista Lucival e do administrador Daniel, os fofoqueiros de plantão do Big Brother Brasil. Os dois não perdoam ninguém – nem eles mesmos, auto-intitulados de “frangos”, termo usado no Nordeste para designar gays. Como na música de Erasmo Carlos, a dupla forma o par de candinhas dessa edição do reality show.

O olhar que lançam sobre os colegas pode ser penetrante. Foram eles que primeiro desvendaram o segredo de Ariadna. Seus gestos, sua voz e seu linguajar pontuado de gírias do mundo GLS não passaram despercebidos. Lucival sabia que haveria um transexual na casa do BBB e, diante dos indícios, não hesitou em apontar a cabeleireira de Realengo como detentora do papel. “É ela, tenho certeza”, disse ao cúmplice Daniel. Não contente, foi tirar satisfação com Ariadna, antecipando a ela o que poderia ser o julgamento do público. “Brasileiro não tolera mentira”, disse. “Você deve se assumir.” Seja ou não pelo know-how de fofoqueiro, Lucival acertou: Ariadna deixou o programa com 49% dos votos do público.

Fazer insinuações, quase sempre carregadas de veneno, também faz parte da atuação das vigilantes candinhas do BBB. Daniel já reclamou de Jaqueline cozinhar pouco – o que resultou numa discussão feia e na defesa da dançarina pelas colegas de confinamento. Em conversa com Maria, ele fez duas acusações contra a atriz de São Paulo. A primeira era de que, apesar de ter formado com o músico Mauricio – eliminado nesta terça-feira com 50,8% dos votos – o primeiro casal desta edição, ela estaria mesmo era interessada no barman Igor. Desde o início. A segunda, a de que, debaixo do edredom, ela teria proporcionado momentos de alegria a MauMau, um parente por dentição do Silvio do Pânico. Maria negou as duas acusações: “Até tenho vontade, mas falta coragem”, disse ela.

Nem só de maldade, porém, são tecidas as conversas da dupla. Verdadeiro colírio para os olhos da audiência e da casa do BBB, o já citado Cristiano foi alvo de elogio da dupla, para quem ele faz mais sucesso que o Mister Paraná Rodrigão. Resta saber se as candinhas vão levar a observação para o próprio engenheiro. E como ele vai reagir. Sobre a cabeleireira Ariadna, Cristiano disse, sem muita finesse, que teria de tomar banho com perfume caso ficasse com ela. Nem o “tipão” do BBB escapa da vulgaridade geral do programa. E muito menos das candinhas do reality show.

Continua após a publicidade
Publicidade