Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ana Hickmann sobre atentado: ‘Estou profundamente abalada’

Apresentadora foi coagida por fã em quarto de hotel. Homem acabou morto após briga com cunhado de Ana

Por Da Redação 22 Maio 2016, 13h43

Ana Hickmann divulgou um comunicado oficial sobre o atentado que sofreu neste sábado, em Belo Horizonte. “Nunca pensei que isso poderia acontecer. Nunca pensei que o ser humano fosse capaz disso. Foi terrível. Estou profundamente abalada e triste. Só peço que todos rezem por minha cunhada para que ela se recupere logo”, diz a apresentadora.

Ao site da VEJA SP, Gustavo Correa, irmão de Alexandre, marido de Ana, contou detalhes sobre o atentado. “Eu estava no corredor do hotel. O rapaz me abordou apontando a arma para minha cabeça e me obrigou a abrir a porta do quarto. Quando entrou no apartamento, ficou ameaçando todo mundo. Isso durou cerca de 15 ou 20 minutos”, diz sobre a abordagem de Rodrigo Augusto de Pádua, 30 anos.

“Foi tudo premeditado para matar e, acho, se matar em seguida. Em determinado momento, a Ana desmaiou nos braços da Giovanna. Ele avançou e parti para cima”, conta Gustavo. “Só queria salvar as mulheres. Ficamos em luta corporal por cerca de dois minutos. Até que a arma se soltou e foi parar atrás dele. Peguei a arma e dei dois tiros na cabeça dele. Enquanto isso, Ana e Giovanna correram para fora do quarto.”

Leia também:

Cunhado de Ana Hickmann revela detalhes sobre o atentado

Continua após a publicidade

Marido de Ana Hickmann homenageia irmão após atentado

O atentado – Ana estava hospedada em seu quarto no hotel Ceasar Business, em Belo Horizonte, na tarde deste sábado, quando Gustavo foi abordado por Rodrigo Augusto, que estava armado e o obrigou a levá-lo até o quarto da apresentadora.

No local, Ana foi ofendida e ameaçada por Rodrigo, um fã declarado da modelo. Gustavo e Giovana também estavam no quarto e foram obrigados a ficar de costas durante o atentado. Gustavo reagiu em uma luta física com o jovem, que realizou dois disparos contra Giovana. Ao desarmá-lo, Gustavo disparou três tiros contra Rodrigo, que morreu no mesmo momento.

De acordo com a polícia, Rodrigo se hospedou no hotel com nome falso e o cartão de crédito do pai.

Continua após a publicidade

Publicidade