Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

#VirouViral Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Duda Monteiro de Barros
Como surgem e se espalham os assuntos mais comentados da internet
Continua após publicidade

Como as chuvas no Rio escancaram o racismo ambiental

Pelo menos doze pessoas morreram no fim de semana. Termo racismo ambiental teve pico de buscas no Google Trends na segunda-feira, 15

Por Duda Monteiro de Barros
Atualizado em 16 jan 2024, 10h43 - Publicado em 15 jan 2024, 15h38

As fortes chuvas que atingiram o estado do Rio no último sábado, 13, e na madrugada de domingo, 14, devastaram áreas da Zona Norte da capital e da Baixada Fluminense. Em um período de 24 horas, foram registradas mais de 200 ocorrências. E o que isso tem a ver com racismo ambiental? O termo teve um pico de buscas no Google Trends, ferramenta do Google, na segunda-feira, dia 15, registrando a maior alta nos últimos noventa dias.

Não se trata de os fenômenos naturais serem racistas, como costuma ser propagado para ironizar e diminuir o termo. A expressão se refere às vulnerabilidades nos territórios onde residem determinados grupos sociais. Não por coincidência, as pessoas mais afetadas pelas “catástrofes naturais” costumam ser negras e pobres. São elas que vivem em morros e áreas alagadiças, ao mesmo tempo em que suas ruas e casas não têm estruturas projetadas para momentos de chuva além da média, por exemplo.

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, afirmou que “as iminentes tragédias são fruto do racismo ambiental e climático”. Veja:

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.