Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

VEJA Gente Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Valmir Moratelli
Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios
Continua após publicidade

Verão 50º: Educador físico aponta sinais de atenção sob calor intenso

Eduardo Netto, diretor técnico do Grupo Bodytech, fala sobre o melhor horário para se movimentar nesta época do ano

Por Valmir Moratelli Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO , Giovanna Fraguito Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
27 nov 2023, 13h26

A onda de calor, que tem feito as temperaturas baterem recorde em várias capitais brasileiras, redobra a atenção aos cuidados com a saúde e, em especial, quando se trata de praticar atividade física ao ar livre. A coluna, na série Verão 50º, traz orientações de especialistas da área da saúde para o verão. Eduardo Netto, diretor técnico do Grupo Bodytech, graduado em Educação Física pela UERJ, dá dicas sobre como manter o corpo em movimento sem ultrapassar os limites, já no preparo da estação que se se avizinha.

“Tem que tomar bastante cuidado, principalmente para uma pessoa sedentária, porque esse calor pode ser muito prejudicial. Quanto pior seu condicionamento, maior o risco ao se fazer atividade física. Mas a gente não quer incentivar o sedentarismo, tem que buscar equilíbrio. Primeiro, é importante se ligar aos sinais. A frequência cardíaca sobe mais do que o normal, a respiração também sobe, você fica mais ofegante… Nos casos mais graves, pode ter risco de confusão mental, tontura e desorientação. E o que fazer quando perceber esses sinais? Parar de se exercitar. Sempre buscar uma área mais ventilada, com sombra e água. E também tirar o excesso de roupa, por incrível que pareça, é muito comum o excesso de roupa, que não permite o corpo transpirar. E o tratamento é bebida fria. Agora, sobre prevenção, quanto mais bem treinado, mais fácil de se adaptar ao exercício. Se você sabe que está quente, independentemente de ser condicionado ou não, o ideal é diminuir a intensidade do exercício. Não dá para treinar na mesma intensidade, duração e distância. Em média, se demora de 10 a 15 dias para o corpo começar a se ambientar com o calor. Então as primeiras duas semanas são complicadas. O ideal é beber água antes, durante e depois; é um ponto muito importante. Procure evitar os horários de maior calor e com umidade maior. Umidade mais de 75% e uma temperatura acima de 30 graus é complicado, o ideal é fazer exercício indoor, com ar condicionado, caminhar no shopping, algo menos intenso. E sempre buscar os horários menos quentes, de manhã antes das 8 e a noite depois do pôr do sol”.

Leia também: Dermatologista dá dicas para cuidados com a pele sob alto calor

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.