Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Thomas Traumann

Thomas Traumann é jornalista e consultor de risco político. Foi ministro de Comunicação Social e autor dos livros 'O Pior Emprego do Mundo' (sobre ministros da Fazenda) e 'Biografia do Abismo' (sobre polarização política, em parceria com Felipe Nunes)
Continua após publicidade

Hora de mudar

Pesquisa Genial/Quaest mostrando que só 42% acham que Lula merece ser reeleito indica a urgência de uma mudança do governo

Por Thomas Traumann Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO 13 Maio 2024, 13h13

Pesquisas eleitorais com dois anos de antecedência servem menos como projeção de futuro do que como um diagnóstico do presente. O recorte da pesquisa Genial/Quaest indicando que, pela primeira vez, a maioria da população não acha que o presidente Lula da Silva merece a reeleição é um indicador da dificuldade do seu terceiro mandato. Para Lula, a boa notícia é que ele tem dois anos para melhorar a sua aprovação. A má notícia é que se ele não mexer logo na forma de governo (incluindo uma profunda reforma ministerial) pode ser tarde demais.

Ao longo da campanha eleitoral de 2022, a pergunta sobre o “merecimento” foi um dos melhores preditores das chances de Jair Bolsonaro se reeleger. Como expliquei junto com Felipe Nunes no livro Biografia do Abismo, duas perguntas eram as mais relevantes para entender a evolução da disputa do que o simples “em quem você votaria”: a do merecimento e a do medo. Ao responder as perguntas “Bolsonaro e Lula merecem uma segunda chance”, a maioria dos eleitores dizia que Lula fazia jus a um terceiro mandato (ele começou com 55% de taxa de merecimento em janeiro de 2022 e variou para 52% às vésperas da eleição). Foi Bolsonaro, contudo, quem melhor soube mexer com esse sentimento. Em janeiro de 2022, apenas 35% dos eleitores diziam que ele merecia a reeleição. No fim de semana do segundo turno, eram 49%. A taxa de merecimento foi fiel ao resultado efetivo das urnas (51%x49%).

É notável que o Lula, eleito em outubro de 2022 com 52% da população afirmando que ele “merecia” voltar à Presidência, tenha agora só 42% que acham que ele tem direito à reeleição em 2026. Se isso não tocar os alarmes do Palácio do Planalto, nada tocará.

Ao perguntar sobre o conhecimento, rejeição e potencial de votos de nove políticos, a Genial/Quaest mostrou o poder de Lula e a força da oposição. 47% dos eleitores dizem que votariam no presidente, enquanto 49% se recusariam. A mais bem colocada na oposição, a primeira-dama Michele Bolsonaro, tem 33% de voto potencial, mas uma rejeição de 50%. Tanto Lula quanto Michelle são conhecidos pela vasta maioria dos brasileiros. Já o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, tem 28% de voto potencial, 30% de rejeição e 39% de desconhecimentos.

Numa eventual disputa mano a mano entre Lula e Tarcísio, o presidente venceria por 46% a 40%, com um cenário similar ao de 2022: Lula venceria com os votos do Nordeste, mulheres, mais pobres, católicos e mulheres. Tarcísio no Sudeste, Sul e Centro-Oeste, homens, ricos e evangélicos. A polarização vista em 2022 se confirma com a pergunta sobre o poder de transferência de Bolsonaro: 85% dos eleitores do ex-presidentes votariam no governador se ele fosse escolhido o seu candidato.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.