Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Sobre Palavras Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Sérgio Rodrigues
Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.
Continua após publicidade

Dias de papa

O papa Francisco na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro (Ueslei Marcelino/Reuters) Às vezes parece haver no mundo mais semanas do que palavras. O texto abaixo, sobre a origem da palavra papa, já foi publicado aqui e retorna por motivos óbvios – fingir que a semana não pertenceu inteirinha ao papa Francisco seria incorrer no […]

Por Sérgio Rodrigues
Atualizado em 31 jul 2020, 05h44 - Publicado em 26 jul 2013, 17h41

O papa Francisco na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro (Ueslei Marcelino/Reuters)

Às vezes parece haver no mundo mais semanas do que palavras. O texto abaixo, sobre a origem da palavra papa, já foi publicado aqui e retorna por motivos óbvios – fingir que a semana não pertenceu inteirinha ao papa Francisco seria incorrer no pecado da miopia jornalística. Nem tudo é reprise, porém. No pé, acrescento considerações novas sobre outros sentidos que papa tem em português.

*

É costumeiro ouvir que São Pedro foi o primeiro papa, mas a veracidade histórica dessa informação depende de uma licença poética.

Nos primeiros séculos da Igreja Católica, em que o bispo de Roma viu seu papel de liderança se acentuar aos poucos, ele ainda não tinha a autoridade de um papa – e muito menos o nome.

Continua após a publicidade

“Papa” é uma palavra documentada em português desde o século XIII e nos chegou do latim papa ou pappa. O latim, por sua vez, tinha ido buscar o vocábulo no grego páppas. Em sua língua de origem a palavra provinha da linguagem infantil e era uma forma carinhosa de chamar pais e avôs, posteriormente estendida como termo de respeito a tutores e autoridades religiosas.

Quando passou a ser usado no âmbito do catolicismo, no século III, papa era um termo de aplicação ampla e liberal, distribuído entre bispos e padres. Consta que o primeiro papa a ser chamado assim foi Libério (352-366).

No entanto, segundo o filólogo catalão Joan Corominas, foi apenas no século V que o título passou a ser reservado exclusivamente ao bispo de Roma, também chamado de Sumo Pontífice.

Esse estreitamento semântico ocorreu justamente na época em que se consolidava seu enorme poder. Palavra e coisa estavam em comunhão.

Continua após a publicidade

*

Faltou falar da curiosa semelhança entre o papa e a papa, palavra informal que designa comida e, em especial, alimentos amolecidos, pastosos ou quase líquidos. Os dicionários os registram como vocábulos diferentes, o que de fato são, mas há entre eles mais do que uma coincidência de data – ambos estrearam em nosso idioma no século XIII.

Como o papa, a papa também é oriunda do latim papa ou pappa, que o dicionário Saraiva trata como verbete à parte, mas deixando uma pista para que se vislumbre uma origem comum. Se um é “palavra infantil com a qual as crianças pedem de comer”, o outro aparece definido em primeiro lugar (antes do surgimento das acepções de tutor e título honorífico religioso) como “o que dá alimento a alguém” – o provedor, pois é.

O latim pater (“pai”) fez outro caminho, vindo de uma ancestral palavra indo-europeia que deu ainda no inglês father e no alemão Vater, entre muitos outros vocábulos, mas presume-se que também nesse caso tudo pode ter começado com um simples “pa” balbuciado por bebês.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.