Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Reinaldo Azevedo

Por Blog Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura
Continua após publicidade

Se voltar, Dilma poderia juntar bolivarianismo light com Meirelles. Será que funciona?

Afasta pretende fazer carta a senadores, mas já prometeu carta também a movimentos sociais...

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 22h16 - Publicado em 15 jul 2016, 17h31

E volta a circular a história de que Dilma pretende fazer uma carta aberta aos senadores em defesa de seu mandato. Ela também manda um recado: se recuperar a cadeira, mantém a atual equipe econômica, encabeçada por Henrique Meirelles, a quem dirigiu elogios em recente entrevista.

Então tá. Há alguns dias, ficamos sabendo que, se voltasse, Dilma pretendia fazer justamente o contrário. Ela também prometeu uma carta-compromisso com os ditos movimentos sociais. Até aí, ok. Ela se comprometa com quem quiser. Ocorre que os ditos-cujos querem a cabeça de Meirelles.

Nas andanças por aí, Luiz Inácio Lula da Silva diz que Dilma e o PT têm de se lembrar sempre que foram os tais movimentos que os alçaram ao poder. Esse é o Lula de esquerda.

Mas, em entrevista ao “Guardian”, ele desce o porrete na política de desonerações de Dilma —que, de fato, de Dilma não era, mas de Guido Mantega. E isso quer dizer que era de Lula porque foi no segundo mandato do companheiro que tudo começou. A estratégia para enfrentar a marolinha virou um vício.

Continua após a publicidade

Dilma sempre comparou, de maneira estúpida e indevida, o seu impeachment a uma eleição indireta. Eis que a companheira, ela sim, para voltar ao poder, se imagina num colégio eleitoral. E vai deitando fora promessas como se candidata fosse. Fala o que lhe dá na telha à plateia da hora.

Ah, sim: na primeira versão da carta, ela estaria disposta a anunciar que o presidencialismo de coalizão chegou ao fim e que pretende governar, se (re)entronizada, em sintonia direta com o povo…  Uma coisa, assim, meio bolivariana, mas com Henrique Meirelles.

Ah, nessa volta, também estava na pauta, lá atrás, a chamada regulamentação da mídia…

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.