Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Senadora pede cópia de processo na ANS aprovando venda da Amil a Seripieri

Soraya Thronicke diz temer que “enorme valor em dívidas” resulte em corte de funcionários e falta de atendimento a clientes da operadora de saúde

Por Nicholas Shores Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 11h28 - Publicado em 11 mar 2024, 08h30

A senadora Soraya Thronicke (Podemos-MS) apresentou um requerimento na Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle (CTFC) pedindo cópia integral do processo que tramitou na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e resultou no aval à compra da Amil pelo empresário José Seripieri Filho, conhecido como Júnior, fundador da Qualicorp.

Em 22 de fevereiro, Thronicke chamou o presidente da ANS, Paulo Rebello, para uma reunião em seu gabinete no Senado, mas não ficou satisfeita com as explicações recebidas. Um dos pontos questionados por ela é por que Rebello aprovou a operação de aquisição em decisão monocrática, sem submeter o caso à diretoria colegiada da agência reguladora.

Na ponta vendedora da transação, avaliada em 11 bilhões de reais, dos quais 9 bilhões de reais seriam dívidas assumidas por Júnior, está o UnitedHealth Group (UHG), uma das maiores operadoras da área da saúde nos Estados Unidos.

“Apesar dos aspectos privados envolvidos nessa operação (de aquisição), preocupa o fato de que o enorme valor em dívidas resulte em corte significativo de funcionários, na falta de atendimento a usuários de planos de saúde e da rede hospitalar da Amil, e em possíveis impactos sobre o Sistema Único de Saúde – SUS, no caso de falta de atendimento da Amil a seus beneficiários”, escreve Thronicke no requerimento.

A parlamentar acrescenta que “é necessário fiscalizar a forma com que o comprador pretende quitar a grande dívida que a empresa tem com o Fisco” – segundo ela, o passivo tributário assumido por Júnior estaria na casa dos 5,4 bilhões de reais.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.