Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Por que a ação de Nise Yamaguchi contra senadores não deve prosperar

A médica processou Omar Aziz e Otto Alencar por danos morais, no valor de R$ 360 mil

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
25 jun 2021, 17h29

Na última sexta-feira, os advogados da médica Nise Yamaguchi moveram uma ação de reparação de danos morais contra os senadores Omar Aziz e Otto Alencar, no valor de 360.000 reais, por conta da “humilhação” que ela teria sofrido durante seu depoimento à CPI da Pandemia no Senado, no último dia 1º. Investigada pela comissão por supostamente integrar o chamado “Ministério paralelo da Saúde”, ela é defensora ferrenha de remédios como a cloroquina para tratar a Covid-19.

Mas mesmo entre especialistas mulheres que viram machismo nas interrupções de senadores à médica, os prognósticos sobre o processo não são dos melhores. Para a advogada Gabriela Rollemberg, ainda que tenha havido machismo nas interpelações, a ação dificilmente vai prosperar porque os senadores gozam de imunidade parlamentar.

“Essa imunidade, no caso da CPI, realmente é importante para que os senadores façam suas intervenções, que algumas vezes precisam ser incisivas, para conduzir a investigação e apuração dos fatos. Por isso, ainda que tenham sido reflexo de uma cultura machista, são intervenções que, a princípio, estão resguardadas pela prerrogativa constitucional da atividade parlamentar”, explica a advogada, que integra a Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político.

Em carta aberta divulgada no domingo, Nise afirmou que, na qualidade de mulher e de idosa, optou por entrar na Justiça “como uma medida para restaurar minha integridade e a de diversos outros médicos brasileiros, os quais também foram afetados com os discursos proferidos pelos parlamentares naquele dia”. Ela informou ainda que todos os valores ganhos com a causa seriam revertidos a hospitais que tratem de crianças com câncer.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.