Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

No Itamaraty, servidores já ‘sonham’ com despedida de Ernesto Araújo

Auxiliares do chanceler dizem que ministério 'vai parar' nesta manhã na expectativa de que ele anuncie saída do órgão

Por Mariana Muniz Atualizado em 29 mar 2021, 11h00 - Publicado em 29 mar 2021, 11h02

No Planalto e na família presidencial, Ernesto Araújo ainda tem algum capital político para permanecer à frente do Ministério das Relações Exteriores — como mostram as postagens de Eduardo Bolsonaro, que replicou os ataques do chanceler à senadora Kátia Abreu.

Mas como a esperança é a última que morre, no Itamaraty — ao menos nos grupos de WhatsApp — o clima é de expectativa para que a reunião convocada pelo ministro com assessores e secretários diretos termine em um anúncio de saída por parte de Ernesto.

Fontes ouvidas pelo Radar dão o tom: “O Itamaraty vai parar às 11h30”. Os diplomatas acreditam que a situação do chanceler ficou ainda mais insustentável diante do enrosco com o Senado, e que os ataques a Kátia dizem mais sobre o modus operandi da saída de ministros do governo Bolsonaro do que outra coisa.

Sabendo que estaria com a cabeça a prêmio, o chanceler sai atirando. Como fez Abraham Weintraub e, mais recentemente, Eduardo Pazuello.

Continua após a publicidade

Publicidade