Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Radar

Por Robson Bonin
Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Nicholas Shores e Ramiro Brites. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Fugitivos são levados de volta à penitenciária de Mossoró

Segundo o ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, a prisão foi 'totalmente reformulada no que diz respeito aos equipamentos de segurança'

Por Gustavo Maia Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 9 Maio 2024, 12h40 - Publicado em 4 abr 2024, 16h10

Os dois detentos que fugiram da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) no último dia 14 de fevereiro, presos na tarde desta quinta-feira, em Marabá (PA), estão voltando ao presídio de segurança máxima no Rio Grande do Norte. Eles deixaram Marabá e embarcaram em um avião da Polícia Federal nesta noite para a transferência.

Rogério Mendonça e Deibson Nascimento foram detidos em ação conjunta da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal, 50 dias após a fuga. Inicialmente, os dois foram levados à sede da PF no município paraense, que fica a cerca de 1.600 quilômetros de Mossoró.

“Os dois fugitivos voltarão para o local de onde saíram, para a Penitenciária de Mossoró, totalmente reformulada no que diz respeito aos equipamentos de segurança”, afirmou nesta tarde em coletiva de imprensa o ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, lembrando que a direção do presídio de segurança máxima foi trocada e os protocolos foram aperfeiçoados.

Segundo o ministro, Rogério e Deibson ficarão separados dentro da unidade e haverá vistorias diárias. “E de lá certamente não se evadirão”, comentou.

“Modernização”

Questionado sobre as melhorias feitas no presídio no Rio Grande do Norte, Lewandowski disse que pode assegurar que a modernização “está sendo aperfeiçoada” e chamou o secretário nacional de Políticas Penais, André Garcia, para dar mais detalhes.

Continua após a publicidade

“O que eu posso afirmar é que o Sistema Penitenciário Federal não é mais o mesmo desde a data do evento que ocorreu lá em Mossoró. Nós tivemos uma série de providências e revistas, vistorias que foram feitas em todas as cinco unidades que compõem o sistema. De lá para cá, trocamos a iluminação, os problemas de iluminação, as câmeras foram adquiridas, estão sendo instaladas à medida que chegam dos fornecedores”, relatou Garcia.

O secretário informou que 10 mil câmeras foram compradas recentemente e que parte dos equipamentos vai reforçar todo o parte de monitoramento das unidades do sistema penitenciário federal.

“Procedimentos foram reforçados, as revistas são diárias em todas as unidades. Os problemas estruturais que foram apontados foram corrigidos, e estamos determinados, como disse desde o dia do evento, que esse fato seja um fato irrepetível, que não vai acontecer mais no Sistema Penitenciário Federal”, concluiu.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.