Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A fúria do funcionalismo federal com Bolsonaro

Servidores públicos estão revoltados com a falta de reajuste salarial prometido pelo presidente

Por Gustavo Maia Atualizado em 6 jul 2022, 17h04 - Publicado em 6 jul 2022, 13h11

Vencido o prazo legal para a concessão de reajustes à categoria, o funcionalismo federal está furioso com Jair Bolsonaro, que não cumpriu a promessa de aumentar os salários neste ano. Nesta terça, delegados e peritos da PF divulgaram uma carta pública para demonstrar a revolta contra o presidente.

Agora, foi a vez de a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público divulgar uma nota para “expressar extrema indignação”. Para a “Servir Brasil”, Bolsonaro “entrou para a história”, por ser o único presidente que não concedeu reajustes das perdas inflacionária aos servidores.

“O prazo para a concessão se encerrou nesta semana, 4 de julho. Por negligência do governo, os 1 milhão e 200 mil servidores civis da União, ativos e inativos, e seus pensionistas, não tiveram seus direitos mínimos respeitados”, diz o texto.

“É preciso ressaltar que trata-se da recomposição das perdas inflacionárias, e não aumento salarial, um ajuste necessário ao movimento inflacionário e econômico do país. Por diferentes oportunidades, o governo de Bolsonaro desprezou a categoria de servidores públicos, ignorando a importância do trabalho e contribuição ao Brasil. O ato de não repassar um ajuste garantido pela Constituição é mais uma representação de maltrato à categoria por parte do governo”, completou a frente parlamentar.

Agora, segundo a nota, resta aos servidores “a expectativa de novos presidentes que respeitem os esforços dos trabalhadores da categoria”. “Seguiremos na luta para que atos de desrespeitos como este não se repitam no governo de Bolsonaro ou de qualquer outro que ocupar a cadeira maior do Executivo”, concluiu.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)