Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Blog de notícias exclusivas e opinião nas áreas de política, direitos humanos e meio ambiente. Jornalista desde 2000, Matheus Leitão é vencedor de prêmios como Esso e Vladimir Herzog
Continua após publicidade

O alerta na cúpula de Lula depois do ataque de Tarcísio de Freitas

Entenda

Por Matheus Leitão Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 27 fev 2024, 16h11 - Publicado em 27 fev 2024, 16h07

A estocada do governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, no presidente Lula – feita de forma muito bem planejada durante a manifestação convocada por Jair Bolsonaro – incomodou a cúpula do governo petista.

Na verdade, acendeu um alerta, segundo apurou a coluna.

Tarcísio, que está construindo importante interlocução com a atual gestão, foi colocado numa posição de destaque no evento do líder da extrema-direita no último domingo, 25.

Até aí, o script era conhecido e não surpreendeu o PT – ou cúpula palaciana lulista – em nada.

Continua após a publicidade

Ocorre que, ao pegar o microfone no evento, o governador de São Paulo aproveitou para dar uma importante indireta no presidente Lula, que, na semana passada, comparou os crimes de guerra de Israel em Gaza ao Holocausto.

Tarcísio falava no carro de som quando, de forma estratégica, afirmou, olhando Bolsonaro: “[Esse é] um presidente que sempre respeitou Israel e a luta de seu povo”.

É uma clara crítica a Lula, que foi descuidado em relação a um tema sensível, inclusive para a política doméstica, embebida em uma enorme polarização forte nos últimos anos.

Continua após a publicidade

Como mostrou a coluna na semana passada, a declaração do atual presidente foi usada como combustível para o ato em prol de Bolsonaro, mudando a estratégia do evento político direitista.

Comandada por líderes evangélicos que idolatram Israel – e para quem Lula é agora “persona non grata” -, a manifestação ganhou “novos ares” com o empurrão do presidente petista.

Em meio a todo esse contexto, o governador de São Paulo aproveitou ainda para defender o legado da gestão anterior, numa clara sinalização de que, a depender dos ventos da política, será ele mesmo – Tarcísio – o sucessor de Bolsonaro.

Continua após a publicidade

Alias, nas palavras de um experiente cacique de Brasília, e que consegue conversar com os dois maiores espectros políticos brasileiros, “Lula deu a munição, Bolsonaro engatilhou a arma e Tarcísio atirou…”

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.