Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

O obscuro episódio de vazamento em uma usina nuclear de Angra

Acidente ocorrido em setembro do ano passado é alvo de investigação na PF, no Ministério Público e no Ibama e será tema de audiência no Congresso

Por Da Redação Atualizado em 15 Maio 2023, 15h21 - Publicado em 15 Maio 2023, 13h47

Um vazamento ocorrido na Usina Nuclear Angra 1, no Rio de Janeiro, em setembro do ano passado, tem sido alvo de muita preocupação das autoridades, já mobilizou o Ibama, a Polícia Federal, a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e o Congresso, virou alvo de investigação do Ministério Público e chegou à Justiça, mas até agora o episódio desperta mais dúvidas do que conclusões.

O vazamento de material radioativo teria ocorrido no dia 16 de setembro na Baía de Itaorna e, segundo reportagem do jornal O Globo, não foi comunicado imediatamente às autoridades pela Eletronuclear, empresa de economia mista responsável pela gestão do complexo nuclear de Angra dos Reis. O Ibama e a CNEN só souberam do ocorrido no dia 30 de setembro por meio de uma denúncia anônima.

O caso virou alvo de investigação do Ministério Público Federal. Segundo o MPF, a postura de Angra 1 “aponta evidências de que teria havido tentativa de esconder o vazamento, atuação que levanta dúvidas sobre a transparência e a seriedade com que a Eletronuclear trata a questão da segurança e a comunicação de incidentes”. A empresa informou que foram despejados apenas 90 litros de água contendo substâncias de “baixo teor radioativo” e que tratou o incidente como um “evento operacional interno”. 

Na última quinta-feira, 11, a Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão em Angra 1. Há dois inquéritos para apurar supostas condutas omissivas na comunicação do acidente e possíveis crimes ambientais. Uma semana antes, o Ibama também havia feito uma vistoria no local, mas não apresentou ainda nenhuma conclusão sobre as consequências ambientais do acidente. O órgão multou a usina em 2,1 milhões de reais devido à demora em avisar sobre o vazamento.

Continua após a publicidade

Em março, a Justiça Federal havia determinado que a empresa realizasse uma avaliação completa dos possíveis danos do vazamento causados ao meio ambiente, como contaminação de água, solo e ar, além de eventuais impactos na saúde humana. 

O próximo passo na tentativa de elucidar o caso será dado nesta terça-feira, 16, quando ocorrerá uma audiência sobre o tema na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados. O requerimento para o debate foi apresentado pelo deputado Max Lemos (PDT-RJ). Já confirmaram presença o diretor-presidente da Eletronuclear, Eduardo Grivot, a analista de Infraestrutura do Ministério de Minas e Energia Liliane Ferreira da Silva e o diretor de Produção de Combustível Nuclear das Indústrias Nucleares do Brasil (INB), Marcio Adriano Coelho. Também foram convidados os prefeitos de Angra dos Reis, Fernando Ceciliano MDB), e Paraty, Luciano Vidigal (MDB), e um representante do Ibama.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.