Assine VEJA por R$2,00/semana
Imagem Blog

Maquiavel

Por José Benedito da Silva
A política e seus bastidores. Com Laísa Dall'Agnol, Victoria Bechara, Bruno Caniato, Valmar Hupsel Filho, Isabella Alonso Panho e Adriana Ferraz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Continua após publicidade

Caso Bolsonaro: hora de apurar “sem açodamento”, diz Marco Aurélio Mello

Ministro aposentado do Supremo afirmou que diligências foram muito amplas, o que implica desgaste para a Corte

Por Isabella Alonso Panho Atualizado em 9 Maio 2024, 10h26 - Publicado em 12 fev 2024, 16h52

A operação da Polícia Federal (PF) da quinta-feira passada, 8, que teve como alvos o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e mais 25 aliados — desde militares de alta patente ao presidente do PL, Valdemar Costa Neto –, não é uma unanimidade no meio jurídico. Do lado dos que já passaram pelo Supremo Tribunal Federal (STF), Corte que autorizou a ofensiva, o ministro aposentado Marco Aurélio Mello criticou o episódio e avalia que é hora da instituição “tirar o pé do acelerador”.

Em entrevista a VEJA, o magistrado avaliou que a forma como as investigações estão sendo conduzidas tem levado ao desgaste da Corte. “Isso (as investigações) está sendo tocado de forma muito abrangente, o que implica desgaste para a instituição do Supremo. É hora de temperança, de se presumir não o excepcional, mas o corriqueiro, o ordinário. Não podemos partir do pressuposto de que todos são salafrários”, avalia o ministro, que classifica as providências do caso como “extremadas”.

Segundo Marco Aurélio, as diligências aprovadas pelo ministro Alexandre de Moraes, relator do inquérito das milícias digitais, de onde saiu a ordem para a operação, foram muito amplas. “No direito, há uma máxima: o meio justifica o fim, e não o fim ao meio. Ato de constrição (medida judicial mais invasiva) não serve para saber se houve crime ou não. Ele parte de indícios de crime, indícios veementes, que devem ser indispensáveis à investigação”, disse o magistrado.

Aposentado do Supremo desde 2021, Marco Aurélio é dono de um perfil mais garantista e possui várias obras ligadas à área do direito constitucional. “Uma busca e apreensão na casa de um cidadão enxovalha o perfil dele. Vamos apurar sem açodamento”, disse a VEJA. A operação da última quinta cumpriu 33 mandados de busca e apreensão e quatro ordens de prisão contra 26 alvos — a maioria deles, militares.

Continua após a publicidade

De acordo com a decisão de Moraes, que atendeu ao pedido da PF para fazer a ofensiva, os investigados fariam parte de um esquema que arquitetava um golpe de Estado depois da derrota de Bolsonaro nas urnas em 2022. O próprio ex-presidente teria envolvimento direto no caso, pedindo apoio a ministros numa reunião para descredenciar o sistema eleitoral e revisando uma minuta com o desenho do golpe. Além disso, militares próximos do Alvorada monitoravam os passos de Moraes, planejando prendê-lo no dia em que o golpe fosse consumado.

Bolsonaro vem negando todas as acusações e, em entrevista a VEJA, declarou que jamais revisou qualquer minuta golpista.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.