Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Clarissa Oliveira Notas sobre política e economia. Análises, vídeos e informações exclusivas de bastidores

O plano de Lula para responder aos novos ataques do time de Bolsonaro

Nos bastidores, integrantes da campanha petista esperam escalada ainda maior dos ataques ao ex-presidente e agem para puxar debate para a Economia

Por Clarissa Oliveira Atualizado em 25 jun 2022, 04h01 - Publicado em 23 jun 2022, 15h19

A campanha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva espera que as próximas semanas sejam marcadas por uma forte subida no tom dos adversários, em especial do presidente Jair Bolsonaro e de seus aliados mais próximos. A avaliação feita pelo time petista é de que a equipe bolsonarista tentará a qualquer custo equilibrar a repercussão negativa da prisão do ex-ministro Milton Ribeiro. Mas entra na conta também a expectativa de uma consolidação da dianteira de Lula nas pesquisas de intenção de voto.

+Leia também: Bolsonaristas intensificam ataques ao PT para tentar tirar foco do MEC

Desde ontem, os filhos do presidente abriram uma ofensiva nessa direção. O senador Flávio Bolsonaro gravou um vídeo no qual reclama do uso eleitoral da prisão e diz que a oposição tenta colocar Lula e Bolsonaro na mesma prateleira. “O que é impossível, porque o Lula é o maior ladrão da historia do nosso País”, afirma. Já Eduardo Bolsonaro apontou para uma longa lista de petistas que foram alvos de denúncias, de José Dirceu a Delcídio Amaral. “Em matéria de corrupção, o PT é imbatível.”

Integrantes da campanha petista dizem, em reservado, que a tendência é que os ataques aumentem em frequência e agressividade nos próximos dias. Um sinal de “desespero”, afirmam. Mas o plano de Lula é simples, segundo contou à coluna um interlocutor do presidente: a resposta será dada exclusivamente na Economia. “Ele vai rebater na Economia e só”, disse o aliado.

A campanha petista vai concentrar ainda mais o discurso em temas como a disparada da inflação e a crise dos combustíveis. A ideia é focar as declarações do ex-presidente em temas que interfiram diretamente na vida das pessoas. O aperto nas contas domésticas, a conta salgada no supermercado e o desemprego, por exemplo.

+Veja também: O que faz da pesquisa Datafolha uma enorme pedra no sapato de Bolsonaro

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)