Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Os cientistas que trabalham para evitar a próxima pandemia

Estudando morcegos e as condições em que esses animais vivem, pesquisadores pretendem impedir outros anos como 2020

Por Sabrina Brito Atualizado em 25 mar 2021, 21h38 - Publicado em 24 mar 2021, 16h16

Grupos de cientistas pelo mundo têm se unido com uma tarefa em comum: entender o suficiente sobre o coronavírus para evitar uma possível próxima pandemia. Para isso, esses caçadores de vírus têm estudado morcegos e outros mamíferos pelo mundo, sobretudo no continente asiático.

Uma equipe japonesa trabalhará com esse fim pelos próximos três anos na Universidade das Filipinas Los Banos. O objetivo do grupo é encontrar outros coronavírus que possam afetar seres humanos. Para isso, eles capturam morcegos e coletam amostras de saliva, células epiteliais e fezes.

A ideia é que analisar fatores como clima, temperatura e rapidez do contágio por vírus possa ajudar a prever o funcionamento do SARS-CoV-2. Afinal, sabendo onde e como ele se desenvolve, pode ser possível isolar o vírus geograficamente e impedir novas infecções.

O trabalho dos especialistas pode ser bastante perigoso. O que aconteceria, por exemplo, se um dos morcegos testados estivesse doente? Covid-19, ebola e SARS são apenas alguns exemplos de doenças que pegamos desses animais.

Agora, a esperança é coletar dados suficientes para construir modelos fiéis à realidade e que possam nos ajudar a prever surtos futuros. Se não der certo, talvez tenhamos mais anos como 2020 pela frente.

  • Leia também: Pesquisa mostra que brasileiro subestimou a pandemia e culpa Bolsonaro.
Continua após a publicidade
Publicidade