Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Moedas de imperadores confirmam expansão do Império Romano na França

A localização indica que os romanos dominaram a pequena ilha de Alderney, ao norte do atual território francês

Por Marília Monitchele Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 24 jun 2024, 16h43 - Publicado em 24 jun 2024, 16h37

Uma recente descoberta arqueológica confirmou a influência romana na pequena ilha de Alderney, situada ao norte da atual França. Pesquisadores encontraram moedas e estruturas, incluindo as ruínas de um antigo forte, sugerindo a importância estratégica da região durante o Império Romano.

Entre os achados mais intrigantes estão duas moedas de períodos turbulentos do império. A primeira, conhecida como “antoninianus”, data de 255 d.C. e apresenta o busto de Valeriano II, neto do imperador Valeriano. Valeriano II foi nomeado César na adolescência pelo avô, mas teve um destino trágico, morrendo apenas dois anos depois em circunstâncias suspeitas. Jason Monaghan, secretário da Dig Alderney e líder da escavação, explicou que a moeda, pouco maior que uma unha e valendo dois denários, não é feita de prata sólida, mas de uma mistura de metais, devido à inflação que assolava o império na época.

A segunda moeda, de bronze, datada entre 364 e 367 d.C., traz a imagem do co-imperador Valente, famoso por ter sido morto pelos godos na Batalha de Adrianópolis, na atual Turquia. Ela foi encontrada em camadas posteriores de um edifício romano com três divisões, um pátio e uma área pavimentada.

Além das moedas e do edifício, foram encontrados restos de um forte. Os pesquisadores acreditam que o Império estabeleceu essas estruturas para garantir a passagem segura dos navios que vinham do Mediterrâneo carregando mercadorias como óleo e vinho. Alderney, devido à sua localização estratégica, servia como um posto de vigia contra piratas, protegendo a rota comercial vital entre a ilha e o resto da França. Os indícios sugerem que a ocupação da região pode ter sido majoritariamente militar, com soldados e possivelmente suas famílias ou funcionários do governo residindo ali. No entanto, a função exata do edifício ainda não está clara.

Continua após a publicidade

As escavações começaram em 2008 e ainda há muito a ser descoberto. Em 2017, eletricistas desenterraram sepulturas da Idade do Ferro e partes do edifício romano, revelando a ocupação humana na ilha por milhares de anos. Monaghan e sua equipe esperam continuar as escavações para desvendar mais sobre o passado romano da ilha e sua conexão com períodos anteriores.

A descoberta das moedas reforça a importância de Alderney como um ponto estratégico e indicam que há muito mais a ser descoberto. “É como uma mini Pompeia lá embaixo”, comparou Monaghan, referindo-se à riqueza de artefatos e estruturas preservadas que ainda aguardam nas dunas de areia da ilha.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.