Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Madrugada do fim de semana terá chuva de meteoros do Halley

A Orionídeos é visível a olho nu e terá seu ápice na madrugada de sábado para domingo

Por Da redação
Atualizado em 20 out 2017, 16h38 - Publicado em 20 out 2017, 14h10

Na madrugada deste sábado para domingo, será possível acompanhar a chuva de meteoros Orionídeos, formada por detritos do cometa Halley. As estrelas cadentes poderão ser vistas de todo o mundo, e o período de transição de Lua nova para crescente deve facilitar a observação dos fragmentos. No Brasil, o melhor momento para acompanhar o fenômeno é previsto para as 2h.

Estima-se que entre 20 e 25 meteoros sejam registrados por hora durante o pico da chuva dos Orionídeos, cujo nome tem origem na sua fonte, a constelação de Órion. O fenômeno neste ano passa longe de suas estimativas mais altas, de setenta a oitenta fragmentos/hora, mas terá uma taxa acima das mínimas já registradas, de dez a quinze estrelas cadentes no mesmo período de tempo, disse Bill Cooke, astrólogo da Nasa, em entrevista à revista americana Newsweek.

O especialista recomenda que os interessados em acompanhar o espetáculo visual, independentemente do país, procurem as áreas rurais e isoladas, e evitem os espaços urbanos, pois a luz e todo tipo de poluição visual impossibilitam a visão do fenômeno. Astrólogos recomendam que a observação seja feita a olho nu, pois binóculos e lunetas limitam o campo de visão. Ao contrário de anos anteriores, a Nasa não fará a transmissão ao vivo da chuva dos Orionídeos.

Chuvas de meteoros são fenômenos anuais que acontecem quando a Terra atravessa uma região que já foi trajeto de um cometa. Isso porque, ao se aproximar do Sol, o cometa perde matéria e deixa um rastro pelo caminho. Quando essa poeira entra na atmosfera da Terra, as partículas ganham alta velocidade e produzem luz.

A chuva dos Orionídeos é formada pela matéria que o cometa Halley deixou para trás em suas passagens pelo planeta a cada 75,3 anos – a última aconteceu em 1986 e a próxima será em 2061.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.