Clique e assine a partir de 8,90/mês

Estudo: Seu cachorro não entende as suas expressões faciais

Segundo a pesquisa, rosto serve apenas para que o cão identifique a espécie daquele com quem interage

Por Sabrina Brito - Atualizado em 9 out 2020, 14h23 - Publicado em 9 out 2020, 12h38

De acordo com um artigo publicado no último dia 5 no periódico científico Journal of Neuroscience, diferentemente do ser humano, cachorros não possuem uma região do cérebro responsável por compreender e reagir a expressões faciais. Assim, por mais que o dono possa achar que seu cãozinho sabe diferenciar entre seus humores pelo rosto, eles não desenvolveram habilidades nesse sentido.

ASSINE VEJA

O novo perfil que Bolsonaro quer para o STF Leia nesta edição: os planos do presidente para o Supremo. E mais: as profundas transformações provocadas no cotidiano pela pandemia
Clique e Assine

O estudo baseou-se na análise de exames cerebrais de vinte cachorros de estimação, incluindo labradores e border collies. Para testar a reação dos animais às expressões, os cientistas lhes mostraram dezenas de vídeos de faces e nucas de pessoas e de outros cães.

Como resultado, os pesquisadores constataram que os pets respondiam mais às imagens de outros cães do que de seres humanos. Além disso, não havia diferença entre as reações dos cachorros às expressões faciais humanas e às partes de trás das cabeças das pessoas gravadas, indicando que os animais não diferenciam muito entre nossos rostos e nucas.

Segundo os cientistas, os resultados apontam que a face humana não possui grande papel na comunicação com os cães. Para esses animais, a análise do rosto serve apenas para determinar se se trata de uma pessoa, cachorro, gato, etc., e não para interpretar emoções ou comunicar sentimentos.

Apesar do avanço trazido pela pesquisa, especialistas reiteram a importância de se conduzir mais estudos acerca do assunto, que ainda é cercado de desconhecimento.

Continua após a publicidade
Publicidade