Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Estudo mostra de onde extraterrestres poderiam observar a Terra

Astrônomos mapeiam o espaço em busca de sistemas que têm visão privilegiada do nosso planeta

Por Da Redação Atualizado em 24 jun 2021, 13h09 - Publicado em 24 jun 2021, 12h43

Observar o espaço em busca de vida inteligente em outros planetas não é uma exclusividade dos terráqueos. Afinal, os extraterrestres também podem nos ver. Astrônomos que conduziram uma pesquisa publicada recentemente na revista científica Nature identificaram mais de 2 000 estrelas de onde a Terra pode ser vista no passado ou poderá ser vista no futuro.

Se há formas de civilização dotadas de tecnologia em outros sistemas, elas podem ter acompanhado a evolução humana e as transformações operadas no nosso planeta. A mudança de ponto de vista leva a novos questionamentos, como disse à Nature Lisa Kaltenegger, astrônoma da Universidade Cornell em Ithaca, Nova York, que liderou a pesquisa: “Quem está nos vendo da primeira fileira cósmica? Para quem seríamos os alienígenas?”

As respostas a essas perguntas foram respondidas mapeando o espaço em busca de sistemas estelares com duas características básicas: proximidade e visibilidade. Tendo como referência o melhor mapa tridimensional de estrelas feito até hoje, compilado pelo observatório Gaia, da Agência Espacial Europeia, os cientistas identificaram 2 043 de onde observadores alienígenas reúnem condições de nos ver. Destas, um total de 1 715 podem ter descoberto a Terra nos últimos 5 000 anos, vendo-a “transitar” em torno do Sol, e as outras 319 estarão em posição privilegiada para nos ver nos próximos 5 000 anos.

O método assumido para espiar a Terra de outras partes da galáxia é o mesmo que os astrônomos ligados à Terra usaram para descobrir milhares de exoplanetas: detectar a luz de uma estrela distante escurecendo levemente e regularmente, conforme um planeta em órbita passa em torno dela. Entre aquelas que estão na posição certa para observar o trânsito da Terra, 75 estão próximas o suficiente para que seus planetas interceptem um sinal claro da existência humana – as transmissões de rádio e TV, por exemplo.

Os astrônomos conhecem sete planetas do tamanho da Terra e com características parecidas orbitando a estrela Trappist-1, que só se moverá para uma posição adequada no ano 3663, dizem os autores do estudo. Até lá, muita coisa deve acontecer, até uma colônia terrestre em Marte.

Continua após a publicidade
Publicidade