Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Estudo mostra de onde extraterrestres poderiam observar a Terra

Astrônomos mapeiam o espaço em busca de sistemas que têm visão privilegiada do nosso planeta

Por Da Redação
Atualizado em 24 jun 2021, 13h09 - Publicado em 24 jun 2021, 12h43

Observar o espaço em busca de vida inteligente em outros planetas não é uma exclusividade dos terráqueos. Afinal, os extraterrestres também podem nos ver. Astrônomos que conduziram uma pesquisa publicada recentemente na revista científica Nature identificaram mais de 2 000 estrelas de onde a Terra pode ser vista no passado ou poderá ser vista no futuro.

Se há formas de civilização dotadas de tecnologia em outros sistemas, elas podem ter acompanhado a evolução humana e as transformações operadas no nosso planeta. A mudança de ponto de vista leva a novos questionamentos, como disse à Nature Lisa Kaltenegger, astrônoma da Universidade Cornell em Ithaca, Nova York, que liderou a pesquisa: “Quem está nos vendo da primeira fileira cósmica? Para quem seríamos os alienígenas?”

As respostas a essas perguntas foram respondidas mapeando o espaço em busca de sistemas estelares com duas características básicas: proximidade e visibilidade. Tendo como referência o melhor mapa tridimensional de estrelas feito até hoje, compilado pelo observatório Gaia, da Agência Espacial Europeia, os cientistas identificaram 2 043 de onde observadores alienígenas reúnem condições de nos ver. Destas, um total de 1 715 podem ter descoberto a Terra nos últimos 5 000 anos, vendo-a “transitar” em torno do Sol, e as outras 319 estarão em posição privilegiada para nos ver nos próximos 5 000 anos.

O método assumido para espiar a Terra de outras partes da galáxia é o mesmo que os astrônomos ligados à Terra usaram para descobrir milhares de exoplanetas: detectar a luz de uma estrela distante escurecendo levemente e regularmente, conforme um planeta em órbita passa em torno dela. Entre aquelas que estão na posição certa para observar o trânsito da Terra, 75 estão próximas o suficiente para que seus planetas interceptem um sinal claro da existência humana – as transmissões de rádio e TV, por exemplo.

Os astrônomos conhecem sete planetas do tamanho da Terra e com características parecidas orbitando a estrela Trappist-1, que só se moverá para uma posição adequada no ano 3663, dizem os autores do estudo. Até lá, muita coisa deve acontecer, até uma colônia terrestre em Marte.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.