Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Astronauta chinesa dá aula no espaço para 60 milhões de crianças do país

Wang Yaping falou a bordo do módulo espacial Tiangong 1 sobre leis da física em gravidade zero

Por Da Redação
Atualizado em 6 Maio 2016, 16h19 - Publicado em 20 jun 2013, 10h39

A chinesa Wang Yaping, segunda mulher astronauta do país, deu uma aula a bordo do módulo espacial Tiangong 1 (Palácio celestial), ao qual a nave Shenzhou 10 (Nave divina) está acoplada, nesta quinta-feira. O evento foi transmitido ao vivo para 60 milhões de crianças do país asiático, por vários canais da emissora estatal CFTV. Esta foi a primeira vez que a China fez este tipo de atividade no espaço.

Wang, que tem 33 anos, mostrou aos estudantes do ensino médio do país o funcionamento de algumas leis da física na gravidade zero. Com pêndulos, giroscópios e gotas d’água flutuando no ar, Wang apresentou às crianças vários fenômenos que ocorrem com a ausência de gravidade. Cerca de 330 estudantes assistiram à aula em uma sala especial, em Pequim, da qual podiam fazer perguntas diretamente à astronauta.

Wang também apresentou às crianças seus companheiros de viagem, os astronautas Zhang Xiaoguang (que filmou a aula) e Nie Haisheng, o comandante de voo, que fez uma pirueta no ar para mostrar aos estudantes a ausência de gravidade.

Professores espaciais – A China é o terceiro país do mundo com capacidade para enviar astronautas ao espaço (depois dos Estados Unidos e da Rússia) e busca uma maior aproximação do programa espacial – que é cercado de segredos devido à sua origem militar – com a sua população, dez anos depois do primeiro voo tripulado.

Wang Yaping, a jovem astronauta, piloto das Forças Aéreas da China, passa a fazer parte do seleto grupo de “professores espaciais” da história, que foi iniciado com uma tragédia, quando a primeira astronauta designada para dar uma aula no espaço, a americana Christa McAuliffe, morreu no acidente da nave Challenger, em 1986.

Continua após a publicidade

Doze anos após o acidente, outra americana, Barbara Morgan, deu continuidade ao programa dos “professores no espaço”, na viagem do ônibus espacial Endeavour, em 1998.

Barbara enviou na semana passada uma carta de felicitação a Wang Yaping, na qual lhe desejou sucesso em sua empreitada espacial. “Você vai estar muito ocupada lá em cima, mas reserve um tempo para olhar pela janela”, disse Barbara em sua carta, enviada “em nome dos professores e estudantes de todo o mundo”.

Leia também:

China vai enviar segunda mulher ao espaço em 2013

Continua após a publicidade

China lança sua mais longa missão espacial tripulada

(Com agência Efe)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.