Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

‘Xerifes’ de matanças são retirados de penitenciárias do Amazonas

Dezessete detentos, tidos como líderes da facção FDN, irão para prisões federais de segurança máxima; entre eles está Garrote, chefe do massacre no Compaj

Por Leslie Leitão Atualizado em 11 jan 2017, 20h21 - Publicado em 11 jan 2017, 15h56

O governo do Amazonas, com o apoio de agentes do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), transferiu nesta quarta-feira dezessete detentos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e da Unidade Prisional do Puraquequara, em Manaus, onde foram mortos na semana passada 60 presidiários. Nesta quinta-feira, será a vez do Acre, que deverá mandar para fora do estado quinze chefes do crime local.

Em um avião da Polícia Federal, os criminosos do Amazonas foram levados a presídios federais – que, por questão de segurança, ainda não foram revelados.  Os transferidos são lideranças da facção Família do Norte (FDN), que ordenou o massacre nas prisões. Entre eles estão detentos classificados como “xerifes” da organização, que coordenavam a atividade criminosa dentro das penitenciárias, além de pessoas acusadas de assassinatos em nome da facção e traficantes da fronteira.

Ao menos quatro dos 17 já haviam sido identificados pela PF na Operação La Muralla, que desarticulou parte da quadrilha. Entre os transferidos está o homem apontado como o Xerife do Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), Márcio Ramalho Diogo, conhecido como Garrote. Só na unidade em que estava preso foram 56 detentos assassinados, sendo 38 deles decapitados. O pedido de transferência havia sido feito pelo governo do Amazonas junto ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

A investigação mostrou que Diogo era responsável pelo transporte de grandes cargas de drogas da fronteira para Manaus, tendo sido preso em abordagem policial. Ele, de acordo com a polícia, executava ordens e fazia cumprir as regras de disciplina imposta pelas lideranças, “sendo inclusive o responsável por aplicar penas aos detentos que variavam de lesões graves ao homicídio”. Na cadeia, a PF disse que ele se converteu em braço direito de José Roberto Fernandes Barbosa, o Pertuba, um dos criadores da FDN.

Também transferido nesta quarta-feira, André Said de Araújo, o Flamengo, foi descrito pela polícia como homem de confiança do fornecedor de drogas colombiano Daniel Rodrigues Orosco. “(André) se encarregava de toda a parte operacional do grupo relacionada ao recebimento, armazenamento e distribuição de drogas, armas e dinheiro”, descreveu os agentes no relatório da operação.

Lenon Oliveira do Carmo, que está no grupo dos 17 retirados do Compaj, também é considerado de “alta periculosidade” e importante membro da FDN, ligado ao grupo do “xerife” Alan Castimário. Além dele, Eduardo Queiroz de Araújo estaria ligado aos assassinatos praticados a mando da facção, “sendo sicário de total confiança de Alan Castimário e José Roberto”.

As duas principais lideranças da FDN, José Roberto Barbosa, o Zé Roberto da Compensa, e Gelson Carnaúba, o G, já estavam em presídios federais há mais de um ano

O pedido de transferência ocorreu a partir de informações reunidas pela força-tarefa criada para investigar o massacre no Compaj. A Polícia Civil amazonense informou usar desde o princípio do inquérito instaurado para apurar o caso imagens de câmeras de segurança do circuito interno do Compaj. Segundo os policiais, havia imagens que mostravam os assassinatos e ajudariam a identificar os diretamente envolvidos. Não foi informado nesta quarta se os dezessete responderão pelos 56 homicídios do local ou se o número de envolvidos nos crimes pode aumentar.

Continua após a publicidade

Veja a lista dos presos transferidos:

  • Márcio Ramalho Diogo (Garrote)
  • Cláudio Dyan Felizardo Belfort (Maguila)
  • Florêncio Nascimento Barros (Marabá)
  • Heliuton Cabral do Carmo (Velhinho)
  • Lenon Oliveira do Carmo (Bileno)
  • Eduardo Queiroz Araújo (Foguinho)
  • Wilson Guimarães Fernandes
  • Fábio Palmas de Souza
  • Demétrio Antônio Matias
  • Janes do Nascimento Cruz (Caroço)
  • André Said de Araújo (Flamengo)
  • José Bruno de Souza Pereira
  • José Ricardo Santos da Costa (Kaká)
  • Reginaldo Muller Neto (Caçula)
  • Gileno Oliveira do Carmo
  • Rivelino de Melo Muller
  • Adailton Farias da Silva

 

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.