Clique e assine com 88% de desconto

PT e PSDB disputam maioria das capitais no 2º turno

Cinquenta municípios só conhecerão seu novo prefeito em 28 de outubro. Das 17 capitais em que haverá segundo turno, três terão confronto direto PSDB x PT

Por Jean-Philip Struck - 8 out 2012, 07h38

A maioria das capitais do país com segundo turno na disputa pela prefeitura terá a presença de PT e PSDB. Entre as 17 capitais que vão ter segundo turno, os tucanos competem em oito. Já os petistas estão no páreo pelo comando de seis capitais.

Entre as capitais disputadas pelo tucanos, seis estão nas regiões Norte e Nordeste (São Luís, Teresina, João Pessoa, Manaus, Belém e Rio Branco), em estados que deram votações avassaladoras para Dilma Rousseff em 2010 (com exceção do Acre).

Já o PT disputa em São Paulo, Salvador, Fortaleza, João Pessoa, Rio Branco e Cuiabá.

Os dois partidos vão protagonizar três embates diretos no segundo turno: em São Paulo, João Pessoa e Rio Branco.

Publicidade

Em terceiro lugar no maior número de disputas de segundo turno em capitais aparece o PMDB. O partido concorre em Natal, Florianópolis e Campo Grande.

Há também quatro partidos nanicos no segundo turno das capitais. Em Curitiba, Ratinho Jr., do PSC, vai disputar mais uma rodada com Gustavo Fruet, do PDT. Em São Luís, Edivaldo Holanda Jr., do PTC, lidera a corrida à prefeitura. Ele vai disputar o novo turno com João Castelo, do PSDB. O PSol e o PV tentam a sorte no segundo turno em Belém e Porto Velho, respectivamente.

Leia também:

PSDB: De olho nos votos da periferia, Serra diz que vai priorizar mais pobres

Publicidade

PT: Haddad diz que jornada foi difícil. ‘Saímos dos 3% para chegar a 29%’

PRB: ‘Agora zera tudo’, diz Russomanno sobre o segundo turno em São Paulo

TSE: Resultados das eleições municipais pelo país. Consulte sua cidade

Segundo turno – Os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que os eleitores de 50 municípios vão ter que voltar às urnas no dia 28 de outubro. A maior parte deles está concentrada em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Publicidade

E esse número pode aumentar. A disputa em Osasco, na região metropolitana de São Paulo, ainda vai ser analisada pela Justiça Eleitoral. Neste domingo, candidato Celso Giglio (PSDB), que era o favorito não teve os votos contabilizados. Até ao caso ser julgado, Jorge Lapas (PT) segue sendo o vencedor.

Publicidade