Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

PMs acusados de estupro têm prisão decretada no Rio

Vítima afirma que, ao invés de ser levada à delegacia pelo furto de uma bolsa, foi espancada e violentada

Por Da Redação 21 abr 2012, 11h10

A Justiça decretou a prisão temporária de três dos quatro policiais militares acusados de estuprarem uma moradora da Rocinha, detida por furto na quarta-feira. A prisão foi pedida ao plantão judiciário pelo delegado Gilberto Ribeiro, titular da 14ª Delegacia de Polícia (Leblon), na noite de sexta-feira.

Os PMs, lotados no Batalhão de Choque, unidade responsável pela ocupação na Rocinha desde novembro, se apresentaram ontem pela manhã na delegacia do Leblon e foram ouvidos informalmente. O teor do depoimento não foi divulgado. Eles foram levados para o Batalhão Especial Prisional (BEP).

Leia também:

Leia também: Comando da PM afasta policiais suspeitos de estupro

A mulher, de 36 anos, foi presa por furtar a bolsa de uma moradora da Rocinha. Reconhecida por sua vítima, foi abordada pelos PMs, que a obrigaram a levá-los até sua casa. Lá, os policiais encontraram a bolsa da moradora, que reconheceu seus pertences e deixou o local. A mulher contou que, em vez de levá-la à delegacia, os policiais a algemaram e passaram a espancá-la com chutes, socos e golpes de toalha molhada. Em seguida, sofreu abuso sexual.

Laudo do Instituto Médico Legal (IML) atestou que a mulher sofreu “lesão corporal e ato libidinoso diverso de conjunção carnal”. A Secretaria de Estado de Segurança informou, na noite de sexta-feira, que o secretário José Mariano Beltrame determinou à Corregedoria Geral Unificada “o máximo de rigor nas investigações”.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade