Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Ordem dos desfiles das escolas de samba é alterada no Rio

Escolas atingidas pelo incêndio não serão julgadas. Quem comprou ingresso e estiver insatisfeito com a mudança será ressarcido

Por Cecília Ritto 7 fev 2011, 21h36

Presidente da Liesa planeja mutirão para viabilizar o desfile das escolas atingidas pelo incêndio

O grupo especial do carnaval do Rio de Janeiro não terá rebaixamento em 2011, e as três escolas prejudicadas pelo incêndio na Cidade do Samba não serão julgadas. Em reunião realizada no início da noite desta segunda-feira entre o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba, Jorge Castanheira, e os presidentes de todas as agremiações do Grupo Especial, ficou decidida também a alteração da ordem dos desfiles. O objetivo da mudança foi evitar que Grande Rio, Portela e União da Ilha, que não conseguirão fazer um espetáculo completo, entrem no mesmo dia na Marquês de Sapucaí. A Portela desfilará no domingo, e não mais na segunda-feira, como estava estabelecido originalmente. Em seu lugar, desfilará a Mocidade Independente de Padre Miguel.

O anúncio oficial das mudanças foi feito pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, depois de encontro com os representantes das escolas. Segundo Paes, quem tiver comprado ingressos e não ficar satisfeito com a mudança poderá pedir ressarcimento, mas não será possível assistir ao desfile em outra data. O prefeito fez um apelo para que o público também colabore para que a festa seja a melhor possível, e disse ter certeza de que o Carnaval carioca “é maior do que essa tragédia”.

Paes informou que a prefeitura vai disponibilizar recursos financeiros para ajudar as escolas, e fará gestões também junto à iniciativa privada. “Luxo e qualidade podem cair, mas as três escolas vão desfilar, e estou certo de que serão os momentos mais emocionantes do desfile”, disse Paes, que sai na bateria da Portela. “O Carnaval é feito de luxo e glamur, mas também de raça e samba no pé.”

O presidente da Liesa disse que as escolas farão um mutirão para viabilizar o desfile das escolas atingidas pelo incêndio. A Grande Rio, que teve seu carnaval inteiramente destruído – com a perda de seus oito carros alegóricos e quatro mil fantasias -, vai ocupar o único barracão vago na Cidade do Samba. Nesta segunda-feira, esse espaço foi ocupado provisoriamente pela União da Ilha, que já o cedeu à escola que mais sofreu com a tragédia.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês