Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Grávida é esfaqueada e morta em São Paulo em suspeita de feminicídio

Autor do crime foi encontrado caído em uma linha férrea com uma série de ferimentos no corpo

Por Giovanna Romano Atualizado em 29 abr 2019, 15h03 - Publicado em 29 abr 2019, 13h43

Uma mulher foi encontrada morta em um terreno baldio no último domingo, 28, em Perus, na Zona Norte de São Paulo. A Polícia Militar (PM) foi acionada para atender uma ocorrência de uma gestante que havia sido esfaqueada e, no local, encontrou Diana Pereira da Trindade, de 24 anos, já morta. Ela foi assassinada pelo pedreiro Aias de Souza Silva, de 35 anos, preso em flagrante.

Segundo o boletim de ocorrência, o autor do crime foi encontrado caído em uma linha férrea com diversos ferimentos e foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia em estado grave. Os policias que o localizaram informaram que o pedreiro foi agredido por populares. No hospital, Aias foi reconhecido por uma mulher que o viu esfaqueando Diana.

O caso foi registrado como homicídio qualificado com agravante de feminicídio e aborto provocado por terceiro sem consentimento da gestante. A perícia foi solicitada no local e a faca usada no crime foi apreendida. Aias permanece internado na Santa Casa sob escolta policial.

Além de Diana, outras duas mulheres foram mortas na capital paulista também por feminicídio, termo usado para assassinatos de mulheres cometidos em razão do gênero. Ou seja, quando a vítima é morta por ser mulher.

A recepcionista Daniele de Jesus Martim, de 38 anos, e a operadora de caixa Raqueline Correa Cavalcante, de 41 anos, foram mortas por seus companheiros neste fim de semana, segundo informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP). Raqueline foi encontrada morta por volta da meia-noite de domingo em sua casa, na Zona Sul, com um corte profundo no pescoço, ao lado de uma faca e de uma marreta. O suspeito foi preso.

Um dos acusados, de 49 anos, entregou-se à polícia e confessou ter matado a sua a ex-esposa Daniele na madrugada de sábado, às 4h30, na casa da própria vítima, no bairro Vila Matilde, Zona Leste. Os policiais encontraram o corpo da mulher debaixo de um cobertor, com uma toalha de mesa amarrada em seu pescoço.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)