Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Falsos padres participam de missa transmitida pela TV

Jovens de 19 e 21 anos estiveram ao lado de padre durante parte de celebração na Comunidade Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP)

Por Da redação
Atualizado em 15 dez 2017, 19h47 - Publicado em 15 dez 2017, 19h14

Dois falsos padres conseguiram participar de uma missa na Comunidade Canção Nova, na cidade de Cachoeira Paulista (SP), na última quarta-feira. Durante parte da celebração, transmitida ao vivo pela TV no canal Canção Nova, José Lucas Carlos Pinheiro, de 19 anos, e Jonathan Alifer Albuquerque da Silva, de 21, estiveram ao lado do padre Roger Luís da Silva. Eles foram retirados do altar antes que a missa chegasse ao fim.

Utilizando o nome de Dom Jorge Heracleo em sua falsa carreira sacerdotal, José Lucas é o fundador da também fictícia Arquidiocese de Gravatá (PE), cidade onde ele nasceu. A página da arquidiocese no Facebook tem fotos de uma mambembe “celebração de posse Episcopal” do rapaz, na qual ele aparece acompanhado de Jonathan Silva e um terceiro falso padre. Também na rede social, Silva se declara “Diácono na Igreja Católica Apostólica Brasileira”.

A atuação dos falsos padres já havia chamado a atenção da Diocese de Caruaru (PE), cujo território compreende a cidade de Gravatá. Em outubro, eles foram denunciados pela Diocese por “confundir o povo com roupas litúrgicas da Igreja Católica, afirmando que celebram Missa e outros sacramentos”. O padre Emerson Mozart da Silva, chanceler da Cúria de Caruaru, e Dom Bernardino Marchió, bispo da cidade, alertam os fiéis da região “a não participarem de celebrações por eles promovidas, pois as mesmas não têm nenhum valor religioso ou sacramental”.

Continua após a publicidade

O texto assinado por Mozart e Marchió classifica a atividade como “usurpação” e ainda afirma que os falsos padres “afrontam” um dos artigos do acordo entre Brasil e a Santa Sé, que “garante a proteção dos lugares de culto da Igreja e de suas liturgias, símbolos, imagens, e objetos culturais, contra toda forma de violação, desrespeito e uso ilegítimo”.

Já a Diocese de Lorena (SP), à qual está circunscrita a Comunidade Canção Nova, ressalta que José Lucas Carlos Pinheiro, o Dom Jorge Heracleo, e Jonathan Alifer da Silva “não receberam nenhum ministério da Igreja Católica, o que torna inválida qualquer pretensa ação litúrgica exercida por eles”.

Padres falsos

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.