Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Complexo da Maré será foco do reforço da Força Nacional no Rio

Conjunto de favelas na Zona Norte da capital fluminense é visto como estratégico no combate à criminalidade

Por Lucas Mathias
Atualizado em 3 out 2023, 18h31 - Publicado em 3 out 2023, 15h54

A região do Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio, terá atenção especial do governo do estado nas próximas semanas, com o reforço de agentes e da estrutura da Força Nacional, enviada pelo Ministério da Justiça. O conjunto de favelas tem sido tratado como o ponto de partida de um movimento que deve ser ampliado para outras partes da capital fluminense. A iniciativa acontece após um pedido do governador Cláudio Castro (PL), que se reuniu na sexta-feira com o secretário-executivo da pasta, Ricardo Capelli, em uma espécie de pedido de reforço contra o avanço da criminalidade no estado. 

A chegada da Força Nacional ao Rio foi anunciada nesta segunda-feira, 2, pelo ministro da Justiça, Flávio Dino. O reforço faz parte de um pacote de medidas, o Programa Nacional de Enfrentamento às Organizações Criminosas (Enfoc), lançado pela pasta. A intenção é que seja implementado em etapas, com custo calculado em R$ 900 milhões. No caso do Rio, serão R$ 247 milhões em recursos federais, entre eles R$ 95 milhões destinados para a construção de presídios de segurança máxima. Haverá ainda o reforço de 300 agentes, 50 viaturas, 22 blindados, um veículo de resgate e um helicóptero, além da atuação de agentes da Polícia Rodoviária Federal. O governo do estado tem deixado claro, no entanto, que não se trata de uma intervenção no estado. 

O foco no combate ao crime organizado na Maré foi destacado pelo próprio governador, em fala após o encontro com Dino em Brasília, na noite desta segunda-feira. Ele destacou que a colaboração do governo federal terá também a coordenação dos trabalhos em outros estados que, segundo Castro, “têm inquéritos com lideranças alocadas no Rio de Janeiro, sobretudo no Complexo da Maré”. 

“A Maré é o ponto de partida, mas não é o fim, até porque nós já vimos outras vezes esse processo de evasão dos criminosos de um local e, depois que a polícia atua, eles voltam. A ideia é a Maré ser o início e depois que isso se irradie para outras comunidades, e a gente possa, sobretudo, prender lideranças e fazer uma asfixia financeira dessas organizações criminosas com inteligência e combate à lavagem de dinheiro, sejam elas milícia, tráfico, narcotráfico ou facção A, B ou C”, disse Cláudio Castro. 

Continua após a publicidade

A atuação no complexo de favelas, de acordo com o governo do Rio, contará com o uso de drones, inteligência artificial, reconhecimento facial e de placas, além de câmeras portáteis. A ação, no entanto, não se trata de uma ocupação do complexo, mas de um conjunto de “operações estratégicas e pontuais”. 

Parte das ações já foi iniciada nesta terça-feira. Nas redes sociais, o governador compartilhou a atuação das forças de segurança no Morro do São Carlos, favela localizada na região do Centro do Rio. De acordo com ele, a operação “já faz parte do trabalho de inteligência e monitoramento de bandidos que teriam fugido da Maré, para onde está planejada uma grande ação das forças de segurança”.

Pela manhã, o Ministério Público do Rio de Janeiro e a Polícia Civil também se reuniram para alinhar as ações no combate ao tráfico de drogas no Complexo da Maré. Ficou estabelecido que os órgãos atuarão juntos para aprofundar as investigações a respeito de um grupo de traficantes que utilizam táticas de guerrilha em treinamento dentro da comunidade.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.