Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chuva em Belo Horizonte provoca mortes e rastro de destruição

Em coletiva nesta sexta, Alexandre Kalil declarou: "o prefeito é culpado; não sabem como isso dói no coração do prefeito"

A forte chuva que atingiu Belo Horizonte no feriado de proclamação da República, na quinta-feira 15 causou destruição na cidade. O Corpo de Bombeiros confirmou quatro mortes até a noite desta sexta-feira, 16.

As duas primeiras vítimas fatais localizadas foram mãe e filha encontradas sem vida em um carro arrastado pela enchente. Além delas, uma adolescente de 16 anos foi vista caindo um bueiro durante enxurrada e, segundo informações da Globo News, teve o corpo encontrado nesta tarde.

O Corpo de Bombeiros também avalia se um corpo encontrado nesta sexta é de um homem que teria perdido o equilíbrio ao cruzar um córrego durante o temporal. As ocorrências foram registradas no norte da cidade, no distrito de Venda Nova e arredores.

As primeiras vítimas fatais confirmadas foram encontradas em um carro levado pela enxurrada na Avenida Vilarinho, em Venda Nova: Cristina Pereira Matos, de 40 anos, e sua filha Sofia Pereira, de 6, não conseguiram sair de um automóvel levado pelas águas. A principal hipótese é que tenham morrido afogadas.

Na mesma região, Anna Luísa Fernandes de Paiva Maria, de 16 anos, foi vista caindo em um bueiro na Rua Doutor Álvaro Camargo, após abrir a porta de um carro em meio ao alagamento. O corpo da adolescente foi encontrado na tarde desta sexta-feira, a mais de 5 km do local onde desapareceu.

Também em Venda Nova, parte de uma casa desabou no Jardim dos Comerciários. Cinco pessoas de uma família estavam no local, mas não sofreram ferimentos graves.

Na manhã de sexta, o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais encontrou o corpo de um homem que pode ter se afogado ao tentar atravessar o córrego que corta uma ocupação de sem-teto na região da Mata do Izidoro, no bairro Jaqueline, região Norte de Belo Horizonte. A identidade da vítima não foi confirmada e a Polícia Civil ainda vai apurar se a morte foi causada pelas chuvas.

Segundo testemunhas, o homem cujo corpo foi encontrado em um córrego da rua Aroeira, na ocupação Vitória, aparentava estar embriagado e pode ter sido arrastado pelas águas ao tentar atravessar a enxurrada. A Defesa Civil estadual comunicou que 15 de novembro foi o dia em que mais choveu na capital mineira desde o início do ano.

Em coletiva de imprensa nesta sexta, o prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil (PHS) declarou: “o prefeito é culpado por mortes. Vocês não sabem como isso dói no coração do prefeito”.

A Prefeitura de Belo Horizonte divulgou nota com medidas para diminuir os alagamentos em Venda Nova, com a priorização de estudos para ampliar a macrodenagem da bacia do córrego Vilarinho, que corta o distrito.

Confira a nota da prefeitura de Belo Horizonte na íntegra:
Neste momento, a Prefeitura está priorizando a contratação de estudos de alternativas para ampliação da macrodrenagem da bacia do córrego Vilarinho. Desde 2017 foram feitos diagnósticos da bacia e estão em fase de orçamento, com previsão de licitação ainda este ano, os estudos para escolha da melhor solução técnica para o problema. A seguir vem a fase de detalhamento da solução escolhida e a viabilização das obras necessárias. Este ano também já foram licitadas na região de Venda Nova obras de tratamento de fundo de vale e controle de cheias no córrego do Nado – sub-bacias dos córregos Lareira e Marimbondo. Ao regular as cheias destes córregos, reduz-se a vazão do Córrego do Nado e melhora-se a vazão do Córrego Vilarinho. Além disso, foram intensificadas as ações de limpeza e desobstrução de bueiros na avenida e limpeza dos córregos e bacias de detenção na região.

(Com Agência Brasil)