Clique e assine a partir de 9,90/mês

Caso Jonatas: polícia apreende de moto a champanhe em SC

O casal Renato e Aline Openkoski arrecadou mais de R$ 4 milhões para ajudar no tratamento de saúde do filho, mas o uso do dinheiro está sob suspeita

Por Fernanda Bassette - Atualizado em 1 mar 2018, 20h36 - Publicado em 1 mar 2018, 18h08

Uma coleção de óculos escuros que estampam marcas como Ray-Ban, Prada e Dior. Um helicóptero de brinquedo guiado por controle remoto. Uma SUV Sportage avaliada em 140.000 reais. Roupas. Anéis. Uma caixa de iPhone. Uma moto.

Os bens acima estão entre os itens apreendidos pela Polícia Civil de Santa Catarina na manhã desta quinta-feira (1º), em Joinville, na residência do casal Renato e Aline Openkoski, pais do bebê Jonatas Henrique. Parte desses bens foi doada para que se arrecadasse recursos para o tratamento do menino por meio de um leilão.

O casal é investigado sob a suspeita de usar indevidamente parte do dinheiro de doações para o garoto, que sofre de uma síndrome rara. Após o diagnóstico, há cerca de um ano, eles conseguiram arrecadar ao menos 4 milhões de reais em campanha ao redor do país.

O dinheiro era destinado a um remédio caríssimo que pode garantir a sobrevivência do menino até a idade adulta, mas doadores questionam gastos dos Openkoski com bens, uma casa maior e viagem para Fernando de Noronha no réveillon. Os dois afirmam que as suspeitas são descabidas e que usam a verba para o tratamento e o bem-estar do garoto. Conheça aqui a história completa.

Um revólver de brinquedo também foi levado. “Ele [Renato] teria usado para fazer fotos e intimidar as pessoas que estavam questionando a lisura da campanha”, afirmou a delegada, que disse ter ouvido ao menos quatro pessoas que foram ameaçadas por questionar o uso do dinheiro. O casal não foi localizado para comentar a operação.

Abaixo, imagens da apreensão:

Continua após a publicidade
Publicidade