Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Bolsonaro compara lockdown no Maranhão à crise na Venezuela

Presidente compartilhou vídeo de fiscalização em ônibus para criticar medida; governador Flávio Dino reagiu

Por Da Redação 10 Maio 2020, 17h36

O presidente Jair Bolsonaro comparou o lockdown na região de São Luís (MA) com a crise política e econômica na Venezuela ao compartilhar em suas redes sociais, neste domingo, 10, um vídeo de pouco mais de um minuto que mostra a abordagem de um policial militar dentro de um ônibus, em que ele exige declaração de trabalho essencial para que os passageiros possam prosseguir viagem. A data da gravação do vídeo não está especificada.

ASSINE VEJA

Quarentena em descompasso Falta de consenso entre as autoridades e comportamento de risco da população transforma o isolamento numa bagunça. Leia nesta edição
Clique e Assine

“‘Documento e declaração de que vai trabalhar'”… Se não tem desce. Assim o povo está sendo tratado e governador pelo PCdoB/MA e situações semelhantes em mais estados. O chefe de família deve ficar em casa passando fome com sua família. Milhões já sentem como é viver na Venezuela”, publicou o presidente em seu Twitter, na postagem em que compartilhou o vídeo.

A Justiça do Maranhão determinou, no último dia 30 de abril, o lockdown das atividades nas cidades de São Luis, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar, em função da pandemia do novo coronavírus. Pela decisão, todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde passaram a ser proibidas por dez dias, entre 5 e 15 de maio.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, publicou tuíte em resposta à postagem do presidente. “Bolsonaro inicia o domingo me agredindo e tentando sabotar medidas sanitárias determinadas pelo Judiciário e executadas pelo governo. E finge estar preocupado com o desemprego. Deveria então fazer algo de útil e não ficar passeando de jet ski para ‘comemorar’ 10.000 mortos”, postou no Twitter.

  • (com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade